in

Conheça Kilos, o ‘Google of the Dark Web’

Serviço se torna o sucessor de Grams.

Conheça Kilos, o 'Google of the Dark Web'

Em 2017, o mecanismo de pesquisa de referência da Dark Web, Grams (não confundir com Gram, a criptomoeda vinculada ao Telegram), despareceu do universo on-line. Assim, uma das principais ferramentas para acessar rapidamente os grandes mercados ilegais on-line desapareceu de uma hora para outra.  A rede era ligada ao tráfico de drogas, armas entre várias outras coisas pesadas da dark web. Neste artigo, conheça Conheça Kilos, o ‘Google of the Dark Web’.

O visual dele era uma sátira, imitação grotesca do buscador do Google. Tudo nele era irônico: ele copiou deliberadamente a aparência do Google, enquanto seu nome piscava para o produto mais procurado.

Conheça Kilos, o 'Google of the Dark Web'

Seu suposto criador, Larry Harmon, foi acusado há duas semanas de lavar 300 milhões de dólares usando criptomoedas. Porém, alguns acreditam que, antes fiar um bom tempo atrás das grades, ele tratou logo de criar um sucessor para o Grams. Porém, desta vez, se trata de um mecanismo de pesquisa muito mais poderoso quando se trata de explorar os locais mais sombrios e profundos da rede. E o nome, vejam só, evolui de Grams para ‘Kilo’.

Conheça Kilos, o ‘Google of the Dark Web’

Deep Web

Assim, os usuários da rede escura contam desde 10 de novembro passado com este novo ponto de referência ao procurar seus produtos. De acordo com a pesquisa realizada pelos especialistas em segurança cibernética da Digital Shadows, nesses 4 meses, o Kilos indexou mais plataformas e adicionou mais recursos de pesquisa do que o Gramas em toda sua existência.

Quando entramos na web (usando, por exemplo, uma ‘janela privada’ do Brave) e uma vez que passamos o captcha inicial, uma rápida olhada mostra vários campos de pesquisa: o primeiro indica o termo pesquisado, mas o seguinte permite indicar o preço mínimo e máximo e a moeda a ser usada. Selecione um critério para solicitar resultados (preços, relevância, volume de vendas do ‘fornecedor’ etc.), origem e destino da remessa, bem como filtro com base no mercado digital que hospeda a oferta ou em quais criptomoedas são aceitas na transação.

Um shopping do mal?

Conheça Kilos, o 'Google of the Dark Web'

Se formos pensar bem, o Kilos funciona mais como o Google Shopping do que o próprio navegador da web. Porém, a cara do Kilos também oferece fatos interessantes sobre sua capacidade de pesquisa e volume de usuários. Quando inserimos os dados, aparecem as seguintes informações:

  • “Atualmente, indexamos 555.821 postagens no fórum, 66.327 anúncios, 2.846 fornecedores e 247.930 avaliações de 7 ‘mercados’ e 6 fóruns de discussão.”
  • 216.587 pesquisas feitas desde novembro de 2019.
  • 96 usuários online naquele momento.

Se observarmos com atenção, também veremos links para uma plataforma de troca de criptomoedas, um bate-papo online (elemento muito incomum nesse tipo de site) e uma pequena biblioteca digital que, entre outras coisas, oferece textos sobre proteção do anonimato, operação de mercados de drogas e criptomoedas etc.

Harrison Van Riper, chefe da equipe do Digital Shadows, diz que os mecanismos de pesquisa “transformaram a maneira como as pessoas usam a Internet diariamente […] e essa mesma transformação está sendo observada entre os cibercriminosos“.

Embora não se possa garantir conclusivamente que o Kilos deriva diretamente do Grams ou que seja o mesmo administrador que está por trás dos dois projetos, as semelhanças iniciais são surpreendentes: a mesma estética do popular mecanismo de busca e as convenções de nomenclatura foram mantidas.

Assim, o Kilos tem tudo para, talvez, se tornar uma grande referência quando falamos de Dark Web.

Via | Revista Digital Shadows & Security e Genbeta

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Veja como ter cinco até cartões SIM no seu iPhone ou celular Android

Veja como ter cinco até cartões SIM no seu iPhone ou celular Android

5G deverá responder por 20% das conexões globais até 2025

5G deverá responder por 20% das conexões globais até 2025