in

Coreia do Sul rejeita pressão dos EUA para banir 5G da Huawei

O governo sul-coreano não vai interferir nas decisões das empresas privadas.

O governo dos EUA acredita que quaisquer dados com a Huawei não são seguros. Ele também acredita que a Huawei está totalmente sob o controle do governo chinês. Para este fim, proibiu a construção de rede 5G da Huawei. Além disso, está usando sua influência global para convencer outros países a banir a Huawei. Embora muitos países tenham realmente banido a Huawei, ainda existem muitos que não acreditam na determinação dos EUA.

De acordo com relatos da mídia sul-coreana, um diplomata sul-coreano revelou o plano de “rede limpa” proposto pelo Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em nome dos riscos de segurança nacional, para pressionar a Coreia do Sul a parar de usar o equipamento 5G da Huawei e de outras empresas chinesas.

Coreia do Sul rejeita pressão dos EUA para banir 5G da Huawei

Anteriormente, os EUA já haviam colocado a Korea Telecom e a SK Telecom, duas grandes operadoras de telecomunicações da Coreia, na lista de “empresas de telecomunicações limpas” que não usam equipamentos Huawei.

O governo dos EUA acredita que quaisquer dados com a Huawei não são seguros.

No entanto, o governante sul-coreano respondeu que a escolha dos equipamentos e tecnologia utilizados pelas operadoras de telecomunicações é da própria empresa e que o governo sul-coreano não vai interferir nas decisões das empresas privadas.

Em 28 de julho, o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Kang Kyung-wha, declarou que a Coreia do Sul “manteria a abertura estratégica enquanto trabalhava para manter a segurança tecnológica” no setor de tecnologia.

Mas alguns diplomatas sul-coreanos dizem que ainda é discutível quanto tempo a posição sul-coreana pode durar. A Coreia do Sul não será o primeiro país que não deseja interferir nos equipamentos que as operadoras usam. Inicialmente, o Reino Unido não queria interferir. No entanto, acabou cedendo à pressão dos EUA e baniu a Huawei.

Fonte: Gizchina

Huawei e Samsung lideram o mercado global de eletrônicos de consumo

Presidente da Huawei classifica as proibições dos EUA como “agressão ininterrupta”

Nem mesmo empresas chinesas querem trabalhar com a Huawei

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.