Driver exFAT do Linux em breve será capaz de excluir arquivos grandes muito mais rápido

Em breve, o Linux deve contar com uma grande novidade. O driver exFAT do Linux em breve será capaz de excluir arquivos grandes muito mais rápido. Assim, deve facilitar muito a vida de quem usa o moderno sistema de arquivos exFAT do Linux. Portanto, uma otimização significativa está a caminho ao excluir arquivos com o conjunto de opções de montagem “dirsync”.

O driver do sistema de arquivos exFAT para Linux 5.12 pode excluir arquivos (grandes) muito mais rapidamente quando houver execução com a opção de montagem “dirsync”. Neste caso, as atualizações de diretório ocorrem de forma síncrona.

No modo dirsync do exFAT usaram um cartão SD para excluir um arquivo de 4 GB.  levando cerca de 39 segundos nas versões atuais do kernel Linux. Porém, com o patch enfileirado na árvore de desenvolvimento do driver exFAT, o mesmo armazenamento agora leva apenas um segundo para excluir. A melhoria aumentará com o aumento do tamanho do arquivo.

Driver exFAT do Linux em breve será capaz de excluir arquivos grandes muito mais rápido

A enorme redução no tempo de exclusão do arquivo ocorre com menos de 40 linhas de novo código, em que o bitmap de alocação de cluster atualiza apenas quando o índice de buffer de bitmap tem alguma alteração. Isso melhora o desempenho do exFAT, especialmente com operações truncat, conforme mostra o patch no código exFAT “dev”.

Portanto, para aqueles que usam exFAT no Linux com o comportamento “dirsync” ativo, espere tempos de exclusão muito mais rápidos que devem começar com o kernel Linux 5.12.

CPUs AMD e Intel antigas terão desempenho de criptografia AES-NI XTS muito mais rápido no Linux 5.12

Driver exFAT do Linux em breve será capaz de excluir arquivos grandes muito mais rápido

Os processadores AMD junto com os processadores Intel mais antigos terão um desempenho de criptografia AES-NI XTS muito mais rápido com o kernel Linux 5.12. Processadores que suportam instruções AES-NI e que também estão sujeitos a Retpolines como parte de suas mitigações Spectre V2 irão desfrutar de uma grande aceleração com AES-NI XTS para a próxima versão do kernel Linux. Isso inclui processadores AMD anteriores e atuais, bem como CPUs Intel mais antigas. No entanto, os processadores Intel recentes não precisam dos trampolins de retorno. Portanto, não estão sujeitos a esta aceleração, pois não são deficientes no momento.

Esta aceleração AES-NI XTS ocorre após descobrirem que o desempenho do AES-NI XTS regrediu fortemente. Isso a partir de Retpolines com as chamadas indiretas do driver do kernel. Surpreendentemente, levou cerca de três anos para os desenvolvedores perceberem o quão ruim era o desempenho. Assim, puderam retrabalhar o código do kernel para evitar a sobrecarga no driver AES-NI.

Esse código agora está enfileirado no código Git “cryptodev” antes da janela de mesclagem do Linux 5.12 no próximo mês.

Um dos patches indica uma aceleração de 65% em um processador Core i7 8650U ao alternar para as chamadas diretas e, em seguida, resolvido com o segundo patch. Portanto, se o seu sistema depende de Retpolines e você não forçou a desabilitação das mitigações, o Linux 5.12 deve ter um desempenho AES-NI XTS muito mais rápido. Isso é importante para criptografia de disco.

Phoronix

Artigos recentes

Artigos relacionados