SempreUPdate
Notícias sobre Ubuntu, Debian, Fedora, Linux, Android, Tecnologia, LibreOffice e muito mais!

Google Chrome ou Chromium qual escolher? Tem diferença?

Se você sempre fica em dúvida entre o que usar em seu GNU/Linux, vamos tentar explicar as diferenças básicas entre o Google Chrome e o Chromium

Se você usa o Google Chrome ou o Chromium mas sempre pensou que são a mesma coisa, então essa postagem é para você. A ideia é fazer uma pequena definição das principais diferenças entre os dois navegadores que de certa forma são populares no mundo GNU/Linux.

O que é o Chromium?

O Chromium é o projeto de código aberto que tem como base o Google Chrome. O propósito do Google era que o Chromium deveria ser o nome do projeto e não o navegador. Como o Google menciona as instruções para os programadores, o nome “Chrome” nunca deve ser mencionado no código, nas variáveis ou API’s do Chrome. Mas, como o código do projeto Chromium é e sempre será aberto, alguns programadores decidiram liberá-lo de forma autônoma como o navegador Chromium. Uma vez que a comunidade Linux mostra uma preferência clara para o softwares de código aberto, o Chromium é o navegador que existe nos repositórios da maioria das distribuições GNU/Linux.

Quais diferenças entre o Chromium e o Google Chrome?

Praticamente, esses dois navegadores compartilham boa parte do código-fonte e características, e geralmente suas diferenças são pequenas. A maior parte das diferenças tem a ver com o fato de o Chrome inclui alguns aplicativos de código fechado, como codecs de áudio e vídeo (AAC, H.264, MP3), Flash, PDF Reader que abre arquivos PDF dentro do navegador.

Quando o Chromium é instalado ele realmente é 100% código aberto e não inclui os aplicativos fechados que citei acima. É claro que podemos instalá-los depois nos repositórios da nossa Distribuição GNU/Linux, para que o usuário tenha os mesmos recursos que o Google Chrome. Além disso, o Chrome é automatizado e possui a possibilidade de ser atualizado para a última versão, ele também conta com a capacidade de enviar mensagens para o Google em caso de falha. O código para a atualização automatizada não foi incluído no Chromium, e segundo informações, isso não foi implementado porque talvez alguém queira usar o código-fonte do Chromium para criar seu próprio navegador, como acontece com alguns navegadores e até aplicativos bancários. Por último, o Chrome desativou algumas características de segurança como a Sandbox, enquanto no Chromium ele depende se o recurso esta ativado na distribuição.

Privacidade entre o Google Chrome e o Chromium

Há uma história que circula por aí que o Chrome é usado pelo Google para observar nossos dados pessoais e que ao usar o Chromium estamos salvos da vigilância. Na realidade esses dois navegadores têm exatamente as mesmas configurações quando se trata de privacidade, mas podemos configurar o que vai acontecer enquanto estamos navegando. Para mais informações, consulte Configurações de privacidade do Chrome.

É possível instalar o Chromium no Windows?

Chromium pode ser instalado em qualquer sistema operacional que ofereça suporte ao Chrome, seja Windows, Mac ou Linux. Visite a página do Chromium e você poderá conferir as versões disponíveis para todos os sistemas operacionais. Além disso, há uma opção de download no formato portátil que não precisa de instalação. Tudo o que temos a fazer é descomprimir os arquivos e executar o aplicativo do Google Chrome. Uma vez que não há como atualizar automaticamente para uma próxima versão do Chromium, e se quisermos algo mais do Chrome, o Google sugere o Chrome Canary ou a edição Dev do Chrome, que inclui os recursos mais recentes do Chrome, além de poder ajudar a testar novos recursos e assim, experimentar tudo antes de todo o mundo que usa o Chrome em sua versão popular.

Qual escolher? Google Chrome ou Chromium?

Bem, se considerarmos que os dois são praticamente os mesmos, o Chrome é a melhor escolha para a maioria dos usuários, no entanto, se você se preocupa com privacidade, pode ter certeza que o Google Chrome não é a melhor opção, e muito menos o Chromium.

Comentários