Google, Facebook, Twitter e Reddit são investigados por ataque ao Capitólio dos EUA

Claylson Martins
7 minutos de leitura
Google, Facebook, Twitter e Reddit são investigados por ataque ao Capitólio dos EUA

A vida não está fácil para as redes sociais, apesar de lucros bilionários em todo o mundo. Google, Facebook, Twitter e Reddit estão sob investigação do House Select Committee que investiga o ataque terrorista de 6 de janeiro ao Capitólio dos EUA. O Comitê acaba de enviar as quatro intimações em busca mais informações sobre o fato. Segundo o presidente daquela Casa, Bennie Thompson, nos pedidos anteriores essas empresas não deram informações adequadas sobre aquele episódio. Elas estão se recusando a dar informações cruciais para as investigações. As empresas são acusadas de terem facilitado toda a organização dos ataques.

As intimações estavam relacionadas à disseminação de desinformação, esforços para derrubar as eleições de 2020, extremismo violento doméstico e influência estrangeira nas eleições de 2020.

Duas questões-chave para o Select Committee são como a disseminação de desinformação e o extremismo violento contribuíram para o ataque violento à nossa democracia e que medidas – se houver – as empresas de mídia social tomaram para evitar que suas plataformas sejam terreno fértil para radicalizar as pessoas à violência, disse Thompson. 

É decepcionante que, após meses de engajamento, ainda não tenhamos os documentos e as informações necessárias para responder a essas perguntas básicas. O Comitê Seleto está trabalhando para obter respostas para o povo americano e ajudar a garantir que nada como o 6 de janeiro aconteça novamente. Não podemos permitir que nosso importante trabalho seja adiado ainda mais.

Google, Facebook, Twitter e Reddit são investigados por ataque ao Capitólio dos EUA

Google, Facebook, Twitter e Reddit são investigados por ataque ao Capitólio dos EUA
Google, Facebook, Twitter e Reddit são investigados por ataque ao Capitólio dos EUA

Thompson emitiu uma carta ao CEO da Alphabet, Sundar Pichai. Ele disse que o YouTube era uma “plataforma para comunicações significativas de seus usuários que eram relevantes para o planejamento e execução do ataque de 6 de janeiro ao Capitólio dos Estados Unidos, incluindo transmissões ao vivo do ataque enquanto ocorria.”

O ex-funcionário do governo Trump, Steve Bannon, é o maior suspeito de organizar o ataque da extrema-direita norte-americana. Com apoios internacionais, ele transmitiu ao vivo seu podcast no YouTube tanto antes quanto depois do dia 6 de janeiro. Além disso, houve transmissões ao vivo do ataque no YouTube. 

O Select Committee acredita que a Alphabet tem informações importantes não divulgadas que são críticas para sua investigação, sobre como a Alphabet desenvolveu, implementou e revisou sua moderação de conteúdo, promoção algorítmica, desmonetização e outras políticas que podem ter afetado os eventos de 6 de janeiro de 2021, escreveu Thompson. 

Por exemplo, a Alphabet não produziu nenhum documento que explique totalmente as discussões e políticas de moderação não públicas que levaram à suspensão do presidente Trump ou que expliquem se ou por que a plataforma agiu ou não em relação à conta do presidente Trump antes de 6 de janeiro. Além disso, a Alphabet não produziu documentos relacionados às decisões políticas do YouTube que possam ter tido impacto no planejamento, coordenação e execução do ataque de 6 de janeiro ao Capitólio dos EUA.

Empresas se posicionam

O Google afirma que “está cooperando ativamente com o Comitê Selecionado desde que iniciou sua investigação, respondendo substancialmente a seus pedidos de documentos e está comprometido em trabalhar com o Congresso nesse processo”. 

Temos políticas rígidas que proíbem conteúdo que incite à violência ou prejudique a confiança nas eleições no YouTube e nos produtos do Google, e aplicamos essas políticas até 6 de janeiro e continuamos a fazê-lo hoje. Continuamos vigilantes e comprometidos em proteger nossos plataformas de abuso, disse um porta-voz do Google. 

As cartas de Thompson aos CEOs da empresa-mãe do Facebook MetaReddit e Twitter também criticam as empresas por não responderem adequadamente às perguntas do Congresso sobre seu papel de cada uma delas ao facilitar o ataque no ano passado. 

A Meta não respondeu aos pedidos de resposta da imprensa. Um porta-voz do Twitter se recusou a comentar. Um porta-voz do Reddit disse: “Recebemos a intimação e continuaremos a trabalhar com o comitê em seus pedidos”.

Thompson disse que várias plataformas do Meta, incluindo o WhatsApp, foram usadas “para compartilhar mensagens de ódio, violência e incitação; para espalhar desinformação, desinformação e teorias da conspiração em torno da eleição; e para coordenar ou tentar coordenar o movimento Stop the Steal”.

Contas públicas sobre a Equipe de Integridade Cívica do Facebook indicam que o Facebook possui documentos críticos para a investigação do Comitê Seleto, disse Thompson entre uma série de outras acusações sobre o papel do Facebook no ataque ao Congresso. 

O Reddit foi acusado pelo Select Committee de hospedar a comunidade “r/The_Donald” ‘subreddit’, sem qualquer tipo de acompanhamento. A comunidade acabou migrando para o site TheDonald.win em 2020. O site “hospedou discussões e planejamentos significativos relacionados ao ataque de 6 de janeiro”, de acordo com Thompson. 

Twitter

O Twitter também foi acusado de permitir que os usuários planejassem e executassem o ataque ao Capitólio. Thompson disse que o Twitter “foi avisado sobre uma possível violência planejada no site antes de 6 de janeiro”.

Os usuários do Twitter também se envolveram em comunicações amplificando alegações de fraude eleitoral, inclusive do próprio ex-presidente, disse Thompson. O ex-CEO do Twitter, Jack Dorsey, reconheceu no ano passado que o Twitter tinha alguma responsabilidade pela violência que ocorreu em 6 de janeiro.

Thompson disse que o Twitter se recusou a entregar documentos relacionados aos avisos que receberam sobre o possível ataque. A rede social também é acusada de não se comprometer com prazos para atender à solicitação do Comitê de uma variedade de documentos relacionados à eleição de 2020. 

Finalmente, o Twitter não apresentou nenhum documento que explique totalmente sua decisão de suspender a conta do presidente Trump em 8 de janeiro de 2021 ou quaisquer outras decisões que a empresa tomou em relação à conta do presidente Trump relacionada aos eventos de 6 de janeiro, disse Thompson. 

Via ZDNET

Share This Article
Follow:
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.