in

Huawei diz que não precisa mais do Google

Disputa entre China e Estados Unidos prejudicou a empresa.

Samsung Display obtém licença dos EUA para vender OLED para Huawei

Foi um ano de muitas polêmicas e tensões. Porém, agora a Huawei pode bater no peito e dizer que não precisa mais do Google em seus produtos, especialmente smartphones. Portanto, a empresa é a prova viva de que existe vida fora da gigante norte-americana. E ela é pulsante.

- Anúncios -

Para quem não sabe ou não viu nda sobre isso, vale relembrar que o gigante chinês de tecnologia foi banido pelo governo dos EUA. A empresa estava impedida de usar produtos norte-americanos, como o Android ou Windows e foi obrigada a correr atrás de desenvolver tecnologia própria. Então, a Huawei criou o próprio sistema operacional e também está preparando alternativas para o Google Mobile Services (GMS).

O GMS é um pacote de aplicativos e APIs do Google que seu telefone precisa para funcionar. A Huawei havia dito anteriormente que o HarmonyOS e seus aplicativos são apenas um plano de backup para a empresa. No entanto, parece ter mudado de ideia e agora a empresa quer avançar no mundo digital (sem o Google).

Depois de muita perseguição, Huawei diz que não precisa mais do Google

 

Huawei diz que não precisa mais do Google

Conforme relatos, o chefe do Grupo de Negócios de Consumidores da Huawei na Áustria, Fred WangFei, disse que eles não querem confiar nos Serviços do Google, mesmo que a proibição nos EUA seja revogada no futuro. Ele mencionou isso várias vezes para evitar confusão, enquanto Andreas Proschofsky, do jornal Der Standard, o estava interrogando.

Essa é uma jogada ousada, dado o nível de domínio do Google. No entanto, a Huawei talvez não queira ter de enfrentar a disputa entre China e Estados Unidos no futuro.

Falando em contramedidas, a Huawei está trabalhando ativamente nos Serviços Móveis da Huawei (HMS) e AppGallery. A empresa parece disposta a investir US $ 3 bilhões em 2020, que é o valor mínimo considerado necessário para se libertar do Google.

No entanto, o Android não será totalmente abandonado. A Huawei ainda colocaria a mão no AOSP (a versão de código aberto do Android menos os serviços do Google), que está à disposição de qualquer pessoa.

Huawei dá marcha à ré

Foi dada uma declaração oficial da Huawei que contradiz as alegações feitas por WangFei.

Um ecossistema aberto do Android ainda é a nossa primeira escolha, mas se não formos capazes de continuar a usá-lo, temos a capacidade de desenvolver o nosso, disse a Huawei à XDA .

Isso restabelece a possibilidade de que a primeira escolha da Huawei seja GMS, e só procuraria alternativas caseiras quando seja absolutamente necessário.

O jornalista do Tweakers, Arnoud Wokke, que desconhecia o comentário de WangFei, fez a mesma pergunta ao gerente geral da Huawei na Holanda e obteve uma resposta que está de acordo com a afirmação acima. De acordo com o funcionário, a Huawei retornaria ao GMS.

O Google tem sido parceiro de muitos usuários. Acreditamos na escolha dos consumidores dos serviços em seus dispositivos, afirmou ele.

Fonte: Fossbytes

Distribuições Linux atualizadas: versão final da OpenMandriva 4.1, OPNsense e OLPC

Distribuições Linux atualizadas: versão final da OpenMandriva 4.1 e OLPC

Unity 8 da UBports tem suporte para Wayland

Unity 8 da UBports tem suporte para Wayland