Kernel 5.7 terá melhorias para código de disquete

Parece fora de moda, ultrapassado. Porém, acredite: o Kernel Linux 5.7 está desenvolvendo melhorias para o código do disquete em pleno 2020. Isso apesar de muita gente esperar que esse código sumisse definitivamente do Kernel. Afinal, quem ainda usa disquetes? A polêmica se arrasta pelo menos desde o ano passado e, ao que parece, vai durar um pouco mais.

Kernel 5.7 terá melhorias para código de disquete

Este é o mesmo kernel em que a Intel estabilizou os gráficos Tiger Lake, A preparação da AMD para o suporte ao Zen 3, um novo driver exFAT e uma infinidade de outras melhorias muito mais modernas. Assim, todos também vão ganhar um trabalho de desenvolvimento todo especial em disquete.

Este não é apenas um conjunto de patches de uma linha para o código de disquete do Linux. Então, são pelo menos 586 linhas de novo código e 613 exclusões. Portanto, se você estiver achando que é coisa do passado e precisa usar disquetes, não se desespere. O kernel Linux ainda está pronto para ler este tipo de dispositivo.

Os patches de disquete enviados hoje para o Linux 5.7 incluem várias limpezas e várias melhorias na arquitetura do ARM. O trabalho de disquete do ARM inclui a eliminação do código morto e a remoção do suporte incompleto para um segundo controlador de disquete (FDC) desse código de arquitetura do ARM.

Portanto, se alguém ainda se importa com o suporte a disquetes, há patches a caminho para o próximo ciclo do kernel Linux.

Intel lança primeiros patches com  Keem Bay para Linux

Kernel 5.7 terá melhorias para código de disquete

A Intel começou a desenvolver o suporte do Linux ao Keem Bay. Para quem não sabe, Keem Bay é a próxima geração da Movidius VPU da Intel, divulgada em novembro passado. Supõe-se que Keem Bay traga uma melhoria de 10x ao desempenho de inferência e se destina a vários cenários de computação de ponta.Os números de desempenho do Keem Bay indicados no AI Summit 2019 da Intel estavam no Ubuntu Linux com suas próprias versões internas de software, mas parece que a divulgação pública para o kernel da linha principal foi um pouco lenta. Assim, hoje foi enviado o primeiro patch do kernel especificamente voltado para o Keem Bay.

 

Além de serem os primeiros patches do kernel do Keem Bay visto, eles são voltados para o eMMC PHY da plataforma. Até agora, nenhum outro patch interessante chegou às listas ou repositórios Git.

Esta VPU Intel de última geração deveria estar sendo lançada no H1’2020, mas, dado o início da ativação do kernel Linux agora está acontecendo no final do primeiro trimestre, é provável que o lançamento do Keem Bay pode ter sido adiado um pouco.

É pouco provável que ele seja lançado sem testes rígidos de qualidade. Assim, a maior probabilidade é de que ele esteja presente no Kernel 5.7.

Suporte ao mecanismo ASD25 AST2500/AST2600 XDMA pendente para Linux

As correções de kernel pendentes que podem ser consideradas importantes para a próxima janela do Linux 5.7 fornecem suporte ao mecanismo ASpeed XDMA para a infinidade de BMCs do AST2500 encontrados nas plataformas de servidor e nas futuras plataformas baseadas no AST2600.

Voltando ao ano passado, foi apresentado o ASpeed AST2600 em sua forma inicial para este SoC. Uma das séries de patches do kernel ASpeed Linux trabalhadas desde então foi o suporte ao mecanismo XDMA para o novo AST2600 e o predominante AST2500.

Kernel 5.7 terá melhorias para código de disquete

O mecanismo XDMA permite operações de PCI DMA entre o SoC/BMC e o processador host. O processador host deve ter o driver carregado. Ele é responsável por alocar as áreas de memória do sistema para o mecanismo XDMA no BMC SoC para ter acesso direto à memória.

Os patches mais recentes estão na lista de discussão enquanto esperam para ver se são capturados pelos mantenedores upstream a tempo da janela de mesclagem do Linux 5.7 ser aberta no início de abril.

Separadamente, também na frente do ASpeed para Linux 5.7 está o suporte do AST2600 vhub com as melhorias de USB do SoC.

Phoronix

 

Artigos recentes

Artigos relacionados