in

Linux Journal está de volta com Slashdot Media

Empresa já mantém outros projetos ligados ao open source em funcionamento.

No ano passado, em 9 de agosto, anunciamos a ‘morte’ de uma das mais tradicionais publicações sobre Linux. Chegava ao fim o Linux Journal. No entanto, pouco mais de um ano depois da data fatídica, a publicação tem um anúncio sobre seu retorno triunfal. De agora em diante, ele operará sob a proteção da Slashdot Media.

A informação é importantíssima, pois se trata da primeira e mais importante revista do mundo a falar em detalhes sobre o sistema operacional. Passando por informações relativas ao kernel ou a distribuições, o Linux Jornal fez _e agora volta a fazer – história. Na primeira publicação em março de 1994, os editores foram Phil Hughes e Bob Young, que em 1993 haviam sido os co-fundadores da Red Hat, e apresentava Linus Torvalds.

Um pouco de história

 Há exatos nove anos, em setembro de 2011, a revista era publicada apenas em formato digital. A empresa estava em apuros há anos e em 2017 anunciou seu fechamento por falta de dinheiro para pagar funcionários e credores. Na época, Kyle Rankin, seu editor, explicou os motivos da seguinte forma:

Minha tristeza por algo em que trabalhei por dez anos ter desaparecido foi substituída pela raiva porque a comunidade Linux parecia ter perdido o rumo. Eu me perdi. Ele considerou o Linux e o software livre como garantidos. Estava mais claro do que nunca para mim que, embora o Linux e o software livre tivessem vencido a batalha contra os gigantes da tecnologia uma década antes, novos ocuparam seu lugar nesse ínterim, e nós os deixamos vencer. Embora eu tenha escrito e falado sobre Linux e software livre por anos, e usado pessoalmente e profissionalmente, eu senti que não tinha feito o suficiente para dar suporte a essa coisa com a qual me importava tanto.

Acordo

Um acordo com um convênio com um serviço de VPN, Private Internet Accesss, permitiu o relançamento do site em 2018. Porém, durou apenas um ano. Em 2019, Rankin escreveu novamente.

Infelizmente, não nos recuperamos rápido o suficiente e, quando percebemos que precisávamos andar por conta própria, simplesmente não conseguíamos. Então, aqui estamos dando nosso segundo adeus, muito mais estranho. Acontece agora? Nós realmente nos abraçamos durante o primeiro adeus, nos abraçamos de novo dessa vez? Fazemos o aperto de mão que se transforma em um abraço de um braço? Nós apenas acenamos e sorrimos?

Foram tempos difíceis, mas também fomos inundados com muito apoio de vocês, nossos leitores. Algumas pessoas nos contataram para nos dizer o quanto gostaram da revista e o quanto sentiam ao ver como foi. Outros se ofereceram para pagar mais por suas assinaturas se isso os ajudasse de alguma forma. Outros nos contataram para saber se poderiam desenvolver um programa de arrecadação de fundos para manter a revista viva. Eu não posso enfatizar o quanto esse incrível fluxo de apoio nos ajudou a todos neste momento difícil. Obrigado.

Linux Journal está de volta com Slashdot Media

Linux Journal está de volta com Slashdot Media

O pessoal da Slashdot Media já tem um histórico de trazer de volta sites relacionados com código aberto. Em 2016, eles salvaram o SourceForge, que havia sido o site de referência para armazenamento e download de projetos de software livre até que os proprietários da época tiveram a ideia de incluir downloads de programas de terceiros nos instaladores sem consultar os desenvolvedores. Eles também operam o agregador de notícias de mesmo nome.

Em relação ao Linux Journal, eles planejam republicar o conteúdo o mais rápido possível. No momento, eles estão procurando por colaboradores que queiram cobrir as novidades do mundo Linux, criar tutoriais e moderar comentários e fóruns.

Pelo que consta no comunicado, eles não têm planos de relançar o modelo de assinatura e se concentrarão na publicação de conteúdo gratuitamente. Apesar do encerramento, em nenhum momento o site foi fechado. Contudo, nenhum conteúdo saiu após o anúncio do encerramento final. Portanto, não há razão para que o site não volte a ficar on-line imediatamente.