in

Linux vence o Windows que se tornará camada de emulação no kernel Linux, prevê defensor do código aberto

Proton, WSL e Edge-for-Linux seriam exemplos dessa mudança radical da Microsoft.

Linux vence o Windows e se tornará camada de emulação no kernel Linux, prevê defensor do código aberto

A Microsoft se cansa do Windows e passa a investir pesadamente no desenvolvimento do Kernel Linux. A previsão é de um defensor do software de código aberto, Eric S Raymond. Para ele, a vitória do Linux no desktop é iminente.  Então, segundo prevê defensor do código aberto, o Linux vence o Windows e se tornará uma camada de emulação no kernel Linux.

O argumento de Raymond, postado em seu blog no final da semana passada, começou com uma admiração pelo Windows Subsystem For Linux, a tecnologia que permite que os binários do Linux sejam executados no Windows. Ele observou que a Microsoft está fazendo contribuições ao kernel apenas para melhorar o WSL.

Raymond também é um admirador do software chamado “Proton“, uma camada de emulação que permite que os jogos do Windows distribuídos pelo Steam rodem no Linux. Ele avaliou o Proton como “ainda não perfeito, mas está chegando perto”.

Seu próximo item de nota foi o lançamento iminente da Microsoft de seu navegador Edge para Linux.

Linux vence o Windows que se tornará camada de emulação no kernel Linux, prevê defensor do código aberto

Linux vence o Windows e se tornará camada de emulação no kernel Linux, prevê defensor do código aberto

Esse conjunto de itens vai bater de frente com outros dois fatores. Primeiro, o fato de que o Azure é agorao principal produto da Microsoft. Ao mesmo tempo, há uma queda no mercado de PCs. Assim, para ele, isso significa que com o tempo a Microsoft estará menos inclinada a investir no Windows 10.

Do ponto de vista da maximização do lucro, isso significa que o desenvolvimento contínuo do Windows é algo que a Microsoft prefere não fazer”, escreveu ele. Em vez disso, eles fariam melhor em colocar mais investimento de capital no Azure – que, segundo rumores, está executando mais instâncias do Linux do que do Windows atualmente.

Em seguida, Raymond imaginou que era um estrategista da Microsoft que buscava o máximo de lucros futuros e chegou à seguinte conclusão:

Windows seria uma camada de emulação como o Proton

O Microsoft Windows se torna uma camada de emulação semelhante ao Proton sobre um kernel Linux, ficando mais fina com o tempo, conforme mais suporte chega às fontes do kernel principal. O motivo econômico é que a Microsoft elimina uma fração cada vez maior de seus custos de desenvolvimento. Assim, há menos trabalho internamente.

Se você acha que isso é fantasia, pense novamente. A melhor evidência de que esse é o plano é que a Microsoft já portou o Edge para rodar no Linux. O Edge Linux seria um teste para liberar o resto do pacote de utilitários do Windows da dependência de qualquer camada de emulação.

Com o tempo, calculou Raymond, a emulação do Windows só estaria presente para lidar com “jogos e outros softwares de terceiros”. E, eventualmente, a Microsoft ficará tão focada no Azure, e tão desinteressada em gastar dinheiro no Windows, que abandonará até mesmo a camada de emulação do Windows.

Os fornecedores de software de terceiros param de distribuir binários do Windows em favor dos binários ELF com uma API Linux pura … e o Linux finalmente vence a guerra do desktop, não substituindo o Windows, mas cooptando-o.

Só falta combinar tudo isso com o pessoal da Microsoft.

Fedora cria novo spin Kinoite com estreia prevista para o Fedora 35

Fedora 33 beta deve sair nesta semana

Red Hat anuncia versão grátis do RHEL para infraestrutura de código aberto

Red Hat trabalha em um novo sistema de arquivos NVFS