in

Os fabricantes de chips dos EUA estão se revoltando

Autoridades americanas querem impedir a China de obter tecnologia americana avançada para fins comerciais e desviá-la para uso militar.

A guerra comercial de Donald Trump contra a China está encontrando oposição entre os fabricantes de chips dos EUA.

Grupos do setor estão pressionando as mudanças propostas nos controles de exportação dos EUA que impactariam a venda de certos semicondutores e outras tecnologias para a China.

Os fabricantes de chips dos EUA estão se revoltando

Em uma carta enviada na segunda-feira, nove grupos aconselharam o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, a permitir comentários públicos antes de colocar as regras em vigor para evitar consequências não intencionais.

As mudanças podem “resultar em impactos significativos para a indústria de semicondutores, sua cadeia de suprimentos global e o setor de tecnologia em geral”, afirmou a carta, assinada pela Associação da Indústria de Semicondutores e pelo Conselho Nacional de Comércio Exterior, a SEMI e seis outros grupos.

Além disso, a carta adverte que os semicondutores são essenciais em equipamentos médicos avançados e que eles permitem o teletrabalho.

Altas autoridades americanas concordaram em novas maneiras de controlar as exportações de alta tecnologia para a China. Isso visa impedir a China de obter tecnologia americana avançada para fins comerciais e desviá-la para uso militar.

O plano é que empresas estrangeiras que usam equipamentos de fabricação de chips dos EUA obtenham licenças antes de fornecer determinados chips à Huawei Technologies da China.

Incerteza para as redes de suprimentos

Ajit Manocha, presidente da SEMI, que representa a cadeia de suprimentos de semicondutores e eletrônicos, enviou outra carta na sexta-feira ao presidente Donald Trump. Ele disse que a mudança prejudicaria as exportações americanas de equipamentos para fabricação de chips, que faturam mais de US$ 20 bilhões por ano.

A medida “serviria como desestímulo a novos investimentos e inovação nos EUA”, escreveu Manocha.

Os fabricantes de chips dos EUA estão se revoltando
O hardware 5G e o Mate 30 da Huawei não usam mais componentes americanos. Crédito da imagem: REUTERS | Rodrigo Garrido.

Além disso, ele observou o potencial de criar incerteza para as cadeias de suprimentos “críticas para combater a pandemia da COVID-19”.

Por fim, a Huawei disse que Pequim pode retaliar contra as medidas americanas (de restringir as vendas de chips para a empresa). Por exemplo, a China pode restringir as vendas de produtos americanos no país e mudar para fornecedores alternativos na China e na Coreia do Sul.

Fonte: Fudzilla