in

Pesquisa conclui que o navegador Microsoft Edge possui telemetria invasora de privacidade

O Microsoft Edge não teve bom desempenho em vários testes de privacidade.

Pesquisa conclui que o navegador Microsoft Edge possui telemetria invasora de privacidade
Imagem: Reprodução | Bleeping Computer.

Embora o Microsoft Edge compartilhe o mesmo código fonte do popular navegador Chrome, ele oferece um melhor controle de privacidade para os usuários. No entanto, novas pesquisas indicam que o navegador Microsoft Edge pode ter mais telemetria que invade a privacidade do que outros navegadores.

De acordo com a Microsoft, telemetria refere-se aos dados do sistema carregados pelos componentes ou pelos serviços internos do navegador. Os recursos de telemetria não são novos para a Microsoft e a empresa usa dados de telemetria do Windows 10 para identificar, analisar e corrigir problemas.

O professor Douglas J. Leith, presidente de sistemas de computador do Trinity College, na Irlanda, testou seis navegadores da web para determinar quais dados eles estavam compartilhando. Em sua pesquisa, ele colocou o Microsoft Edge, o Google Chrome, o Brave, o Yandex, o Firefox e o Safari da Apple.

Infelizmente, o Microsoft Edge não teve bom desempenho em vários testes de privacidade.

Telemetria demais no navegador Microsoft Edge

Ao testar o Edge, Leith viu que todo URL digitado no Edge era enviado de volta aos sites da Microsoft.

Por exemplo, todo URL digitado na barra de endereço é compartilhado com o Bing e outros serviços da Microsoft, como o SmartScreen. Isso foi confirmado pelo site Bleeping Computer, que usou o Fiddler para ver os dados JSON sendo enviados para a Microsoft.

Pesquisa conclui que o navegador Microsoft Edge possui telemetria invasora de privacidade
Imagem: Reprodução | Bleeping Computer.

Isso pode ser corrigido usando uma técnica semelhante à implementação da Navegação segura do Google, que baixa uma lista de sites maliciosos conhecidos e a salva localmente. Essa lista é verificada pelo navegador e, se algum dado precisar ser enviado aos servidores do Google, enviará apenas uma impressão digital de URL parcial com hash que pode ser usada para rastrear o comportamento da navegação.

Além disso, o navegador envia identificadores de hardware exclusivos para a Microsoft, que é um “identificador forte e duradouro” que não pode ser facilmente alterado ou excluído.

Pesquisa conclui que o navegador Microsoft Edge possui telemetria invasora de privacidade
Imagem: Reprodução | Bleeping Computer.

Edge e outros navegadores envolvidos em atividades intrusivas

É importante observar que o Microsoft Edge for Enterprise oferece aos administradores muito controle nas implantações para desativar todos esses rastreadores. Porém, os rastreadores são ativados por padrão em todas as instalações do Edge.

Embora o Microsoft Edge não tenha se saído bem nos testes, o pesquisador também questionou o comportamento do Chrome e de outros navegadores.

Os usuários já haviam notado que o Chrome verifica todo o computador e reporta hashes de programas executáveis de volta ao Google para criar a plataforma de Navegação segura do Chrome.

Chrome, Firefox e Safari compartilham detalhes de todas as páginas da web que você visita com seus serviços. Todos esses navegadores usam o recurso de preenchimento automático para enviar endereços da Web para seus serviços em tempo real.

No Firefox, existe um WebSocket aberto para notificações por push e está vinculado a um identificador exclusivo, que pode ser usado para rastreamento, de acordo com o pesquisador.

Fonte: Bleeping Computer

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.

Unix completou seus 50 anos! E já tem problemas à vista!

Conheça o OpenStreetMap: uma alternativa ao Google Maps feita pela comunidade

Conheça o OpenStreetMap: uma alternativa ao Google Maps feita pela comunidade