in

Placa Coral do Google no Raspberry Pi vem com novo Debian 10

O lançamento do Mendel Linux 4.0 ‘Day’ é baseado no Debian 10 Buster.

Placa Coral do Raspberry Pi do Google vem com novo Debian 10

O Google atualizou a versão do Mendel Linux para sua placa de desenvolvedor Coral de alto desempenho e seu SoM (sistema em módulo) complementar. Então, agora a placa Coral do Google no Raspberry Pi vem com novo Debian 10.

O hardware Coral do Google saiu da versão beta no mês passado. Na época prometeu entregar uma nova versão do Mendel baseada no Debian 10 Buster. Esta é a mesma versão do Debian que a Raspberry Pi Foundation desenvolveu para a versão mais recente do seu sistema operacional Raspbian padrão. Os desenvolvedores do Coral agora podem testar a versão 4.0 do sistema operacional Debian do Google.

Placa Coral do Raspberry Pi do Google vem com novo Debian 10

O novo  Mendel Linux 4.0 Day também vem com pipelines GStreamer atualizados e suporte para Python 3.7, OpenCV e OpenCL. E atualizou o kernel Linux para a versão 4.14 e o U-Boot para a versão 2017.03.3.

Placa Coral do Raspberry Pi do Google vem com novo Debian 10

A linha de produtos Coral tem como objetivo levar atividades de IA para dispositivos de ponta, para que modelos de IA pré-treinados possam processar dados mais próximos dos sensores de coleta de dados, fora do data center e offline.

O Coral Dev Board, de US $ 149, inclui o Coral SoM, que possui uma GPU, unidade de processamento de vídeo (VPU), um Edge TPU ASIC desenvolvido pelo Google com o NXP IMX8M SoC, Wi-Fi e Bluetooth, memória e armazenamento.

De acordo com Carlos Mendonça, gerente de produtos da Coral Team, agora é possível usar a GPU da Dev Board para converter dados de pixel YUV em RGB a até 130 quadros por segundo em resolução 1080p. Isso deveria ser “uma a duas ordens de magnitude mais rápido” do que os dispositivos que executam o antecessor de Day, Chef, poderiam converter YUV em RGB.

O Google forneceu instruções para exibir uma nova imagem de sistema de um sistema Linux ou Mac em sua página atualizada de documentos e ferramentas.

Processamento de mídia

Placa Coral do Raspberry Pi do Google vem com novo Debian 10

O Google também anunciou o MediaPipe for Coral, sua estrutura para levar recursos de percepção às placas Coral. Ele se chama MediaPipe porque permite que os desenvolvedores criem “pipelines de percepção de aprendizado de máquina” para processar mídia, como vídeo e áudio no dispositivo.

Detecção de rosto em tempo real

As soluções de aprendizado de máquina que o Google possui para o MediaPipe incluem rastreamento de mãos e reconhecimento de gestos, rastreamento de várias mãos, detecção de rosto, segmentação de cabelo e detecção de objetos.

Desenvolvedores e pesquisadores podem criar protótipos de percepção em tempo real, começando com a criação do gráfico MediaPipe na área de trabalho. Em seguida, podem converter e implantar rapidamente esse mesmo gráfico no Coral Dev Board. Assim, o modelo quantificado do TensorFlow Lite será acelerado por o Edge TPU, explicou Mendonça.

Placa Coral do Raspberry Pi do Google vem com novo Debian 10

Além disso, o Google lançou um novo tutorial para o Teachable Sorter, uma máquina de classificação física que usa os recursos do Coral USB Accelerator para classificar rapidamente objetos diferentes à medida que passam pelas lentes da câmera. O Coral Accelerator é um acessório do tamanho de dois dedos. Ele tem um coprocessador Edge TPU que se conecta às máquinas Debian Linux através de um cabo USB 3.0 Tipo C.

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.