in

Por que algumas distribuições Linux estão acabando?

Será que 2019 é o ano de encerrar projetos e partir para novos horizontes?

Com o número de novos usuários entrando pela porta da frente no mundo Linux, graças ao Windows 10 que desagradou a muita gente, as distribuições Linux têm sido procuradas por muitos destes. No entanto, parece que 2019 será um dos anos com um número considerável encerramento de distribuições do que todos os outros.

Quando falamos em encerrar um projeto é bem difícil associar isso à distribuições conhecidas. Sempre é esperado que projetos que começaram recentemente, os famosos fork do fork, percam a força com o passar do tempo por não ter um diferencial.

Essas distribuições que usam bases populares, geralmente ajustam algo visual aqui ou ali, e liberam o download em suas plataformas. Assim, em vários casos não se sustentam por muito tempo. Contudo, nos últimos meses, o jogo tem virado.

Distribuições conhecidas e de longa data, têm fechado as portas repentinamente, sem que os usuários fiquem sabendo das crises internas de cada uma delas. A surpresa, que não é boa, nos pega de supetão.

Só neste segundo trimestre, o Scientific Linux e o Antergos encerraram o projeto. Então, é isso chama atenção para entender o que anda acontecendo. Uma outra distribuição que está passando por problemas é o Linux Mint, porém os motivos são diferentes.

Por que algumas distribuições Linux estão acabando?

Os motivos são muitos. Contudo, o principal e mais comum é o fato da escassez dos recursos financeiros. Para quem não sabe, alguns projetos remuneram seus desenvolvedores ou fornecem ajuda de custos. Até porque não conhecemos ninguém que tenha internet, energia elétrica grátis ou até mesmo, um teclado, mouse ou algum hardware.

O tempo vai passando, as ajudas financeiras vão diminuindo, as necessidades dos desenvolvedores são as mesmas e os custos também. Com isso, perceba fica insustentável manter o projeto, afinal de contas, os odiados anúncios Google são descartados, mas que poderiam ajudar a captar recursos.

Quando há uma empresa sólida por trás, mantendo o projeto, tudo fica mais fácil. Mas em muitos casos alguns usuários torcem o nariz para isso e seguem com outras distribuições. O problema é que não ajudam a distribuição aclamada, acreditam que o dinheiro que paga as contas e compra comida deve brotar do chão, ou quem sabe, a moeda deles sejam “capim”.

Em nenhum lugar do mundo, elogios ou reclamações pagam a conta. Claro, o feedback aponta um norte, um destino, porém não vai pagar servidores, custo de energia ou até internet. Quem sabe no Fantástico Mundo de Bob. Afinal, desenvolvedores não devem se alimentar ou vestir, suponho que seja esse o pensamento. Eis onde se encaixa perfeitamente a frase “venha a nós o vosso reino, e ao vosso reino não levo nada”.

E o Linux Mint? Vai acabar também?

Já em relação ao Linux Mint, o cenário muda de figura. A gente sabe que é uma distribuição popular, e que tem milhares de usuários ao redor do mundo. No entanto, o problema por lá não é financeiro e sim pessoal.

Uma leva de usuários nada agradecidos, resolveu cercar o projeto e tecer comentários maldosos e que estão puxando os desenvolvedores para baixo. Uma onda de desmotivação causada pelos próprios usuários do Linux Mint tem sufocando e enforcado os desenvolvedores com o passar do tempo.

Isso foi revelado em uma postagem escrita no Blog do Linux Mint. Todo mundo pensou que fosse alguma piada por conta do primeiro de abril. Mas os comentários e a resposta do líder do projeto deixaram claro que não é uma brincadeira.

Para que uma equipe funcione, os desenvolvedores precisam se sentir como heróis. Eles querem as mesmas coisas que os usuários, eles são usuários, eles eram “apenas” usuários para começar. Em algum momento eles decidem se envolver e começam a investir tempo, esforços e emoções para melhorar nosso projeto. O que eles mais procuram é apoio e felicidade. Eles precisam de feedback e informações para entender bugs ou solicitações de recursos. Quando acabam de implementar algo, precisam se sentir como heróis, eles literalmente fazem, isso é parte da razão pela qual eles estão aqui.

Posso mostrar a eles 500 pessoas doaram dinheiro no mês passado, posso encaminhar e-mails para a equipe onde as pessoas me dizem o quanto amam o Linux Mint, posso dizer que estão fazendo a diferença, mas não há nada melhor como interagir diretamente com um usuário feliz vendo em primeira mão alguém se deliciar com o que você trabalhou. Como a nossa comunidade interage com os nossos desenvolvedores é fundamental, para o seu trabalho, para a sua felicidade e para a sua motivação.

O texto do Blog do Linux Mint é vasto, mas a gente percebe uma tristeza em cada palavra, especialmente ao citar que dois dos melhores desenvolvedores do projeto abandonaram o barco por conta de tanto feedback negativo sobre o trabalho.

Ao mesmo tempo, ele deixa claro que o projeto não fica triste quando encontram erros ou falhas, mas como os usuários interagem com eles, uma verdadeira grosseria e falta de respeito pelo trabalho ao que eles tanto se dedicam.

Em contrapartida, problemas internos de relacionamento também podem estar ocorrendo no Linux Mint. Digo isso porque no dia 4 de abril, um dos desenvolvedores, ou melhor, um daqueles dois principais que saíram do Linux Mint, revelou que ficou triste com o post no Blog do Linux Mint e que o sentimento é que ele seria um mau desenvolvedor.

Ainda em seu texto, ele conta que vivia situação de grande stress no projeto, especialmente nos meses que antecediam algum lançamento da distribuição. A situação foi tão tenebrosa que ele ocultou a afiliação ao projeto depois da publicação longa.

E agora?

Acredito que o bom senso deva ajudar, especialmente se você gosta de alguma distribuição e quer mantê-la de pé por muitos anos. Evite ser desagradável, reporte os problemas sem humilhar ou denegrir a imagem dos desenvolvedores.

Seja gentil e generoso, até porque muitos dos projetos precisam de ajuda financeira ou de uma mãozinha para melhorar os softwares. Se não sabe ajudar ou não quer, fique calado. Em nenhum lugar do mundo o ódio e a arrogância conseguiram dar bons frutos.

Se as pessoas conseguirem isso, temos um bom caminho a seguir. Lembre-se que neste momento o mundo Linux está precisamos mais do que você aprendeu de bom com seus pais, do que os diplomas de universidades. Ajude para ser ajudado, elogie para ser elogiado. E muito cuidado com o que você faz e fala, o mundo gira e em algum momento a conta fatura das humilhações vai bater na sua porta.

É isso, desculpem pelo texto pesado, mas encerramento de distribuição não é bom sinal. E os motivos obviamente não seriam positivos.

Com informações do Reddit Antergos Blog do Linux Mint

Written by Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

Opera anuncia o “Opera GX”, primeiro navegador de jogos do mundo

Opera anuncia o “Opera GX”, primeiro navegador de jogos do mundo

Saiba as principais linguagens de programação utilizadas em blockchain

Saiba as principais linguagens de programação utilizadas em blockchain