Razões para os jogadores Linux não comprar placas NVIDIA da série RTX 20

Para os jogadores Linux é sempre importante terem uma excelente experiência com seus jogos. No entanto, vários testes feitos pelo site Phonorix constataram que algumas placas da série RTX 20 da Nvidia, que são as queridinhas de muitos usuários Windows, podem simplesmente funcionar de forma precária no Linux. Então é bom evitar adquiri-las neste momento.

A placa testada foi da NVIDIA da série RTX20. A lista é composta por várias razões pelas quais você pode querer pensar duas vezes nessas placas gráficas, pelo menos não para pré-encomendar qualquer uma delas agora. Nos benchmarks Linux da GeForce RTX 2080, quando disponíveis, pelo menos, esclarecerão muito mais sobre o estado da Turing para Linux, mas até agora parece que o lançamento é muito mais interessante para usuários do Windows.

Falta de suporte aos jogadores Linux

A razão mais óbvia para que os usuários do Linux descartarem a possibilidade comprar esta série da NVIDIA é a falta de suporte ao driver de código aberto. Se você quiser aproveitar totalmente o hardware GeForce RTX 20 “Turing” ou mesmo as placas gráficas Maxwell e Pascal, é realmente viável usar o driver gráfico de código fechado para máximo desempenho e recursos. Não há suporte a Turing distribuído sob código aberto atualmente, e mesmo se houvesse, ele provavelmente seria afetado pelas mesmas limitações Maxwell2/Pascal de nenhum suporte a re-clocking. Isso significa que a GPU no driver de código aberto está presa ao desempenho com frequências de clock baixas. Mas, atualmente as placas gráficas “Kepler” GeForce 600/700 como a última geração da Nouveau de código aberto possuem suporte decente.

Vai demorar um tempo até que possamos ver os jogos RTX/ray-tracing no Linux. Há uma série de jogos para Windows que serão lançados com a tecnologia NVIDIA RTX, mas nenhum plano para o Linux, ao menos por hora. Será bem demorado o tempo de espera até que possamos ver qualquer jogo RTX/ray-tracing nativamente no Linux ou até mesmo tê-lo via Wine/SteamPlay rodando com qualquer tipo de camada RTX.

Turing parece ser uma atualização bastante incremental do RTX. As referências da NVIDIA às grandes capacidades de desempenho da série RTX 20 foram quase inteiramente para jogos que utilizam RTX como base. Fora desse contexto, parece que a Turing oferecerá melhorias de desempenho bem modestas em relação a Pascal.

Jogos e tecnologias atuais

A série GeForce GTX 1080 já roda muito bem com todos os jogos Linux atuais. O GTX 1080/GTX 1080 Ti executa de forma satisfatória todos os jogos nativos e atuais do Linux, a menos que seja para visuais exigentes em 4K, aí o bicho pega. Faz pouco tempo que o Rise of the Tomb Raider foi lançado para o Linux enquanto os jogadores do Windows já estão usando o RTX  habilitando Shadow of the Tomb Raider. No Linux, a Radeon RX Vega 64 atualmente parece ser equivalente com a GeForce GTX 1070, o que pode ser uma alternativa.

O suporte ao Wayland é terrível, mesmo com a NVIDIA tentando fazer com que os compositores do Wayland implementassem EGLStreams para suportar seu driver binário atual. A NVIDIA ainda está buscando a nova “API de alocação de memória de dispositivo Unix” que pode suceder a EGLStreams/GBM, mas depois de anos de conversa, ainda precisa se concretizar, por hora são apenas planos. Dizem por aí que talvez seja no próximo ano, no mínimo, que vamos conseguir ver um trabalho real em torno de uma possível nova API adotada pelos principais compositores do Wayland. O driver proprietário da NVIDIA é o principal problema para que ocorra a adoção do Wayland no desktop Linux.

A NVIDIA ainda não fez nenhum comentário ou demonstração sobre o Linux relacionado a essas novas placas gráficas. A empresa parece não estar nem um pouco interessada no Linux com Turing. Mas há uma esperança, no final do mês deve sair mais um driver beta, então quem sabe não vem boas notícias por aí.

Preço

Essas placas gráficas são bem caras, especialmente para quem mora no Brasil. Comparado com seus predecessores ou com a linha RX Vega, o custo é bem alto. A GeForce RTX 2080 gira em torno de US $ 799 (RS 3.291,88), enquanto o RTX 2080 Ti começa em US $ 1.199 (R$ 4.939,88), os valores em reais tem como base a cotação de hoje.

O SLI é quase inútil no Linux. Com a série RTX 2080, a NVIDIA introduziu o novo recurso que em Português seria algo como “ponte pronta para NVLink SLI” para conectar duas dessas placas gráficas. Múltiplas placas gráficas NVIDIA no Linux são boas para computação OpenCL/CUDA, mas para jogos é em grande parte inútil. A NVIDIA suporta o SLI no Linux há mais de uma década, mas poucos jogos do Linux se beneficiam disso. Com o Vulkan existem as extensões para vários dispositivos, mas nenhum dos jogos/aplicativos do Linux suporta atualmente a funcionalidade.

Realidade Virtual

O suporte ao RV Linux ainda está em estado bruto. Uma das outras áreas em que a potência extra e as capacidades da série RTX 20 faz sentido é a realidade virtual (RV). Infelizmente, o suporte ao SteamVR Linux ainda está em péssimo estado e com poucos títulos disponíveis. O driver da NVIDIA está melhor do que o Radeon (embora os últimos bits de código aberto devam estar muito melhor agora do que antes), para jogos de RV no Linux não há muito o que se entusiasmar atualmente.

Os preços da Pascal devem cair quando a Turing estiver disponível. Isso resultará em um valor muito melhor da série GeForce GTX 1000. Como já foi mencionado e mostrado rotineiramente em vários benchmarks no Phoronix, a série GeForce GTX 1080 funciona muito bem com os jogos atuais no Linux. Escolha uma GeForce GTX 1080 hoje e, quando os jogos Linux mais exigentes estiverem disponíveis, esperamos que esses jogos suportem múltiplos dispositivo Vulkan para renderização e você possa ter outra GTX 1080 a um valor ainda melhor.

Canonical pede ajuda para testar suporte a GPU da Nvidia

Previous article

Chrome 70 está previsto para outubro

Next article

You may also like

More in Artigo