in

Tesla usa Coreboot em veículos elétricos

Driver da Intel Linux Graphics recebe patch  de segurança para vulnerabilidade no Gen9

Elon Musk confirma conspiração de hacking visando fábrica da Tesla
A Tesla não comentou sobre o assunto. Foto: Divulgação.

O Linux vai mesmo dominar o mundo? Bem, pelo menos em relação aos automóveis, parece que sim. Claro, isso não se limita apenas ao uso em automóveis, mas pelo menos um fabricante de veículos está usando o Coreboot em seus modelos. Estamos a falar da Tesla que agora usa Coreboot em seus veículos elétricos. Assim, o Coreboot faz parte do sistema dos computadores utilizados pela Tesla. O portal de código aberto da Tesla Motors no GitHub está hospedando um repositório Coreboot, com um grande aporte de código ocorrendo no início do ano novo.

O novo código adicionado no topo da árvore de fontes Coreboot é da Tesla Motors e Samsung. A Samsung fabrica o atual chip autônomo (FSD) da empresa.

Como se dá o uso do Coreboot em veículos elétricos da Tesla?

Tesla usa Coreboot em veículos elétricos

O código Coreboot faz referência a uma placa-mãe “Turbo TRAV” SoC e “Turbo Sentinel”. Porém, fora isso, não muita informação em torno do assunto. Ou seja, não se sabe exatamente qual a destinação dos referidos códigos aqui citados.

A implementação do Coreboot é basicamente para inicializar o hardware e inicializar o kernel Linux como um substituto da BIOS proprietária convencional.

Enquanto isso, o kernel Linux tree público da Tesla continua a rastrear os kernel branches do Linux 3.xe 4.x datados para plataformas Intel e NVIDIA Tegra.

Driver da Intel Linux Graphics recebe patch  de segurança para vulnerabilidade no Gen9

Além das correções dos drivers gráficos da Intel desde novembro por erros de negação de serviço e escalonamento de privilégios, o kernel  Linux recebeu um novo patch para “CVE-2019-14615” referente a uma possível vulnerabilidade de dados com o hardware gráfico Gen9.

O CVE-2019-14615 ainda não foi tornado público, mas o commit (63d264fe) foi incorporado à linha principa. É importante observar que, com essa vulnerabilidade, levando a possível vazamento de informações, é necessário acesso local ao sistema.

Os gráficos Intel Gen9 cobrem desde Skylake até Coffee Lake (e basicamente tudo no mercado antes da Gen11 Icelake).

Via Phoronix