in

Windows baseado em Linux faz todo sentido!

Você pode executar programas Linux padrão agora no WSL 2 sem nenhum problema.

Windows baseado em Linux faz todo sentido!

Eric S. Raymond, desenvolvedor e escritor, argumenta que o WSL (Windows Subsystem for Linux) permite que binários Linux não modificados sejam executados no Windows 10. Sem emulação, sem camada de correção, eles apenas carregam e pronto. Na verdade, você pode executar programas Linux padrão agora no WSL 2 sem nenhum problema. Todavia, faz sentido um Windows baseado em Linux?

Isso porque o Linux está a caminho de se tornar um cidadão de primeira classe no desktop Windows. Várias distros Linux, começando com Ubuntu, Red Hat Fedora e SUSE Linux Enterprise Desktop, agora funcionam perfeitamente no WSL 2.

Além disso, com o Build 20211 do Windows 10 Insider Preview, agora você pode acessar sistemas de arquivos Linux, como ext4, do gerenciador de arquivos do Windows e do PowerShell. Ainda mais, os desenvolvedores da Microsoft estão facilitando a execução de aplicativos gráficos do Linux no Windows.

Windows baseado em Linux

Raymond apontou que outros estão trabalhando para tornar mais fácil a execução de aplicativos do Windows no Linux. Em particular, ele aponta para o Proton da Valve, uma camada de compatibilidade baseada em Wine desenvolvida para rodar jogos do Windows Steam no Linux.

Windows baseado em Linux faz todo sentido!
Eric S. Raymond, desenvolvedor e escritor, argumenta que o WSL (Windows Subsystem for Linux) permite que binários Linux não modificados sejam executados no Windows 10.

Ele também observou, corretamente, que a Microsoft não depende mais do Windows para seu fluxo de caixa, mas de sua nuvem Azure (que está executando mais instâncias Linux do que do Windows Server).

Então, sendo esse o caso, por que a Microsoft deveria continuar despejando dinheiro no kernel do Windows, notoriamente propenso a problemas, quando ela pode usar o kernel Linux grátis? Ele acha que a Microsoft pode fazer as contas e mudar para o Linux.

O Google optou por economizar dinheiro e aumentar a segurança usando o Linux como base para o Chrome OS. Isso funcionou muito bem para o Google.

Fonte: ZDNET