in

A Internet das Coisas está criando ou destruindo empregos? – Parte I

Neste primeiro artigo da série, veja se o conceito da Internet das Coisas está criando ou destruindo empregos em vários setores de trabalho.

A Internet das Coisas está criando ou destruindo empregos? Parte II
A Internet das Coisas está criando ou destruindo empregos? Parte II. Imagem: Reprodução / IoT Tech Trends.

Trinta anos atrás, “engenheiro de nuvem” teria sido uma gíria muito boa para um piloto de avião. Porém, graças ao crescente alcance da Internet, agora é um trabalho por si só, como “gerente de mídia social” e “arquiteto de banco de dados”. Dessa maneira, os avanços tecnológicos, como a inteligência artificial (IA) e a Internet das Coisas (IoT, sigla em inglês), estão criando uma riqueza de novos empregos que nunca imaginaríamos ter.

A automação e os dispositivos conectados estão chegando para trabalhos de alta e baixa qualificação e muitas pessoas estão preocupadas com o fato de os novos trabalhos não serem suficientes para substituir os antigos que desaparecem. Afinal, mesmo que haja empregos suficientes, será que as habilidades necessárias serão uma barreira muito alta para as pessoas fazerem a troca?

Visão pessimista: as forças da destruição do emprego

À medida que mais dispositivos IoT ficam on-line, as fronteiras entre o que pode e o que não pode ser automatizado estão diminuindo muito. Além disso, não são apenas os funcionários e servidores de varejo que serão substituídos por telas sensíveis ao toque e sensores. Motoristas, contadores, corretores de seguros, trabalhadores rurais, operadores de máquinas e até modelos de moda não poderão evitar a automação total ou parcial no futuro. Graças à proliferação de sensores, melhor tecnologia de rede e, mais importante, IA que é melhor para lidar com tarefas não estruturadas, essas ocupações estão agora na lista de “alto risco”.

A Internet das Coisas está criando ou destruindo empregos? Parte I
“O jogo de xadrez da humanidade contra a inteligência artificial começou”. Imagem: Reprodução / IoT Tech Trends.

Vários estudos estimaram que 47% dos empregos nos EUA (Frey e Osborne, arquivo em PDF), 35% no Reino Unido e possivelmente até 60% do emprego na ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático; Chang e Hyunh, arquivo em PDF) podem estar sob alto risco de automação nas próximas décadas. A McKinsey estima que 50% das atividades de trabalho atuais poderiam ser tecnicamente automatizadas usando as tecnologias que temos atualmente, embora eles também acreditem que apenas cerca de 5% dos empregos possam ser totalmente automatizados. Independentemente disso, se um trabalho contiver tarefas estruturadas que possam ser automatizadas, é seguro assumir que elas serão computadorizadas eventualmente.

A Internet das Coisas está criando ou destruindo empregos? Parte I
Imagem: Reprodução / IoT Tech Trends.

Muitos setores realmente serão afetados

A manufatura, onde a Internet Industrial das Coisas está em vigor, será especialmente afetada quando os sensores da IoT e as máquinas conectadas começarem a assumir muitas operações rotineiras e tarefas de manutenção. Os humanos ainda serão necessários, mas, como nas primeiras revoluções industriais, seus papéis mudarão e seus números serão reduzidos. Isso pode acabar atingindo economias emergentes, cujos custos mais baixos de mão-de-obra podem não ser mais atraentes para empresas estrangeiras com opções de automação ainda mais econômicas.

Varejo, agricultura, atendimento ao cliente, acomodações, armazéns e outros setores que dependem de rotinas altamente estruturadas também sofrerão grandes quedas no emprego. O supermercado sem check-out da Amazon, fazendas inteligentes e robôs selecionadores para armazéns são apenas alguns exemplos de tecnologias que já estão começando a usurpar trabalhos que antes eram “apenas para humanos”.

A tecnologia da IoT e da IA ??está ficando cada vez melhor e mais barata. E, quando chega ao ponto em que sensores, máquinas e software podem fazer algo melhor e mais barato que os humanos, bem, você já sabe.

Sob um ponto de vista, a Internet das Coisas está realmente destruindo empregos

Em suma, estamos olhando para um futuro em que pouquíssimos trabalhos estão completamente protegidos contra a automação (embora a maioria não possa ser completamente assumida). Além disso, a demanda geral por mão-de-obra pode cair à medida que as alternativas robóticas ficam baratas o suficiente para automatizar completamente alguns trabalhos e parcialmente outros. Dessa forma, muitos trabalhadores pouco qualificados serão afetados, especialmente nas economias emergentes, mas também os trabalhadores altamente qualificados envolvidos em tarefas altamente estruturadas. Os trabalhadores altamente qualificados podem ser mais capazes de treinar para permanecer empregáveis. Porém, aqueles que não têm condições de se manter em dia se encontrarão do lado errado de uma crescente divisão digital.

Por fim, neste primeiro artigo da série, você teve uma visão pessimista sobre se a Internet das Coisas está criando ou destruindo empregos. No próximo artigo, você lerá uma visão otimista sobre esse mesmo assunto.

Se gostou, não deixe de compartilhar!

Fonte: IoT Tech Trends

Leia também: Distros Linux usadas em dispositivos IoT

Escrito por Leonardo Santana

Astrônomo amador e eletrotécnico. Apaixonado por TI desde o século passado.

malware-android-roubou-dinheiro-de-800-000-contas-bancarias

Malware Android roubou dinheiro de 800.000 contas bancárias!

facebook-lanca-threads-um-aplicativo-instagram-para-os-melhores-amigos

Facebook lança Threads, um aplicativo “Instagram” para os melhores amigos!