in

Chrome Web Store exigirá extensões mais seguras

Medida deve dar mais segurança aos usuários.

Chrome Web Store exigirá extensões mais seguras

Depois de oito anos em aberto, a Google Chrome Web Store acabará exigindo extensões mais seguras. O lugar por excelência em que os usuários do Chrome adquirem suas extensões é a Chrome Web Store. Porém, durante anos, a loja de plugins do Google tem tido muito pouca segurança prática. Não são raros os problemas com extensões maliciosas e conteúdo fraudulento. Então, o Chrome Web Store exigirá extensões mais seguras.

Embora o Chrome Web Store exista desde 2010, somente agora o Google  irá exigir que os desenvolvedores publiquem extensões seguindo duas regras básicas de segurança: acesso á pedido extensões apenas para os dados necessários para explorar, e também incluem políticas de privacidade para que possam gerenciar as comunicações pessoais ou o conteúdo do usuário.

Essas novas políticas fazem parte de um projeto do Google chamado Strobe que servirá para analisar melhor como aplicativos, serviços e sites de terceiros se comunicam com os produtos da empresa. Foi algo que eles anunciaram depois de informar sobre a violação de segurança no Google+ e sua consequente morte.

Quase metade dos usuários instalam extensões e mais de 180.000 estão disponíveis na Chrome Web Store

Chrome Web Store exigirá extensões mais seguras

Essas novas políticas são excelentes notícias, considerando o uso de extensões do Chrome. O Google demorou demais para melhorar suas medidas de proteção do usuário nesse sentido.

Por exemplo, em janeiro de 2018, eles decidiram começar a impedir o abuso de extensões instaladas fora da Chrome Web Store. Apesar de boa, a medida é insuficiente dada a quantidade de ameaças.

Será o fim de qualquer extensão que solicite permissão para ler e alterar todos os dados dos sites que você visita?

Essa nova etapa finalmente afeta a loja de extensões da empresa, primeiro porque elas finalmente exigirão que os desenvolvedores solicitem a quantidade mínima de permissões com acesso ao mínimo de dados possível para que sua extensão funcione. Com isso, é possível que finalmente veremos uma redução dessas solicitações e até queda no número de extensões que fazem esta solicitação de acesso para ler e gerenciar todos os dados que passam pelo navegador.

Antes, o Google exigia apenas que as extensões que manipulavam dados pessoais ou confidenciais publicassem uma política de privacidade. Portanto, agora decidiram que as extensões que gerenciam as comunicações e o conteúdo do usuário também devem fazer o mesmo.

As novas políticas entrarão em vigor em breve. Enquanto isso, os desenvolvedores foram aconselhados a atualizar suas extensões e atender aos novos requisitos para permanecer na Chrome Web Store.

Fonte

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.