in

Governo iraniano bloqueou Wikipédia em farsi por causa do surto de coronavírus

As restrições foram implementadas com o mesmo mecanismo usado para bloquear o acesso a plataformas de mídia social no país.

O Irã tornou-se um dos países com o maior número de infecções de coronavírus. Dessa maneira, o governo iraniano bloqueou a Wikipédia no idioma farsi à medida que os medos se espalharam.

Governo iraniano bloqueou Wikipédia em farsi

O observatório da internet NetBlocks, que rastreia interrupções e paralisações, revelou que o Irã bloqueou o acesso à edição no idioma farsi (persa) da enciclopédia on-line Wikipédia desde 2 de março de 2020.

Todavia, todas as outras edições em outros idiomas estavam disponíveis no país (exceto o hebraico que foi bloqueado no passado).

Além disso, parece que apenas a versão móvel ficou acessível aos usuários iranianos.

As restrições foram implementadas por cerca de 24 horas e o governo as removeu na tarde de 3 de março de 2020.

Governo iraniano bloqueou Wikipédia em farsi por causa do surto de coronavírus
Imagem: NetBlocks.

O NetBlocks relatou:

Os dados da rede confirmam que os bloqueios são tecnicamente consistentes com as técnicas conhecidas usadas para restringir plataformas on-line no Irã, com filtragem SNI e envenenamento de DNS para impedir o carregamento do site.

As restrições foram implementadas com o mesmo mecanismo usado para bloquear o acesso a plataformas de mídia social no país, como o Twitter e o Facebook.

Além disso, parece que a restrição ocorreu quando a mídia global noticiou a morte de Mohammad Mirmohammadi, um importante consultor do líder supremo iraniano Khamenei, causada pelo coronavírus.

De qualquer forma, a Wikipédia não removeu artigos relacionados ao manejo da epidemia de coronavírus pelo Irã e os artigos continuam abertos para edição.

Por fim, detalhes técnicos adicionais sobre como o acesso à Wikipédia está sendo restrito estão relatados no post publicado pelo Netblocks.

Fonte: Security Affairs

Leia também:

Hackers iranianos invadiram servidores VPN para plantar backdoors

Facebook, Google e Twitter podem interromper os serviços no Paquistão

O Comando Cibernético dos EUA não estava preparado para lidar com a quantidade de dados que eles hackearam do Estado Islâmico