in

Huawei gastou bilhões em um estoque de dois anos de chips americanos

Mesmo com suprimentos brutos suficientes, a Huawei pode não ser capaz de resistir à tempestade.

Huawei gastou bilhões em um estoque de dois anos de chips americanos

A Huawei começou a estocar chips americanos no final de 2018. A empresa revelou que gastou mais de US$ 23 bilhões em estoques de “componentes essenciais” como uma contramedida às sanções comerciais dos EUA. O estoque durará pelo menos dezoito meses e, se necessário, poderá ser estendido por mais seis meses. Mas mesmo com suprimentos brutos suficientes, a Huawei pode não ser capaz de resistir à tempestade.

Huawei gastou bilhões em um estoque de dois anos de chips americanos

A Huawei está publicamente em modo de pânico, e com justificativa suficiente, já que ela não tem permissão para vender para empresas americanas ou comprar software ou hardware projetado por elas. Até agora, a proibição se manifestou no nível do consumidor com a restrição do software Android e outros serviços do Google nos smartphones da Huawei.

No entanto, a Huawei vende mais do que smartphones. Uma grande parte dos chips estocados são processadores de servidor Intel e AMD e FPGAs da Xilinx. Infelizmente para a Huawei, grande parte do estoque provavelmente já está desatualizada. Os processadores de servidor dobraram recentemente em contagem de núcleos e o PCIe 4.0 está sendo implementado constantemente. Porém, a situação é pior com os FPGAs: estes são processadores extremamente especializados, geralmente personalizados de acordo com as necessidades do cliente.

Huawei gastou bilhões em um estoque de dois anos de chips americanos
A Huawei começou a estocar chips americanos no final de 2018.

Da mesma forma, a Huawei comprou grande parte de seu estoque de varejistas e outros terceiros, o que resultou em um aumento de preço e nenhum suporte. Eles não conseguirão solucionar problemas com eficiência, não serão reembolsados por hardware defeituoso ou não receberão atualizações de software ou infraestrutura.

Como remédio necessário para as restrições dos EUA, a Huawei renovou seu foco no desenvolvimento de seu próprio hardware. A subsidiária HiSilicon está trabalhando no desenvolvimento de CPUs, GPUs, FPGAs, modems e dezenas de outros chips especializados, mas é fácil supor que eles não estarão prontos como substitutos a curto prazo, caso contrário, eles não estocariam chips americanos.

Fonte: Tech Spot

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.