in

Huawei nega substituição do Android

Ele está, de fato, desenvolvendo um sistema operacional IoT.

Huawei nega substituição do Android

Após muitas especulações, a Huawei nega substituição do Android. No início deste ano, surgiram os primeiros relatos de uma possível proibição da Huawei nos Estados Unidos. Então, autoridades da gigante chinesa de tecnologia disseram que a empresa estava totalmente preparada para tal cenário. Então, alegaram que um substituto do Android já estava em andamento. Porém, a Huawei nega substituição do Android.

Em maio, a Huawei acabou sendo adicionada à lista negra. Isto basicamente a impediu de fazer negócios com empresas americanas e usar seus produtos. Entre as proibições estava a utilização do sistema operacional Android.

Naquela época, especulou-se que a Huawei havia acelerado o desenvolvimento da sua própria alternativa Android, que foi muitas vezes referida como HongMeng, Ark OS ou Harmony. O novo sistema estrearia em terras chinesas em breve. Isso teria ajudado a Huawei a reduzir o impacto da proibição dos EUA em seu portfólio de produtos.

Porém, como se constata, a Huawei não estava realmente desenvolvendo um substituto do Android. HongMeng, a plataforma que ocasionalmente era apontada como rival do sistema operacional móvel do Google, era na verdade uma plataforma de IoT.

Apenas uma plataforma de IoT

O presidente da Huawei, Liang Hua, disse em uma entrevista coletiva na semana passada que a empresa ainda não decidiu se uma alternativa Android deve ser desenvolvida ou não. Segundo ele, o HongMeng, apesar de ser um projeto IoT, pode ser facilmente promovida sistema operacional móvel.

O sistema operacional Hongmeng é desenvolvido principalmente para dispositivos de IoT que reduzirão a latência … Em termos de smartphones, ainda estamos usando o sistema operacional e o ecossistema Android como ‘primeira escolha’. Ainda não decidimos se o Hongmeng OS pode ser desenvolvido como um sistema operacional de smartphone no futuro, disse ele, de acordo com a fonte citada.

Da mesma forma, os Estados Unidos começarão a conceder licenças temporárias para vender produtos para a Huawei em algumas semanas, de acordo com um funcionário próximo ao assunto. Então ainda não se sabe se a gigante de tecnologia chinesa quer continuar com o esforço de um substituto do Android ou não.

Huawei prepara demissões em massa nos Estados Unidos

Um relatório do WSJ revela que a Huawei dispensará centenas de funcionários da Futurewei Technologies, a subsidiária de pesquisa e desenvolvimento da empresa, com sede nos Estados Unidos.

O número exato de funcionários afetados por essa decisão é desconhecido neste momento. No entanto, a Futurewei tem cerca de 850 funcionários. Então, grande parte de sua força de trabalho pode ficar sem emprego. Do mesmo modo, alguns funcionários podem ser transferidos para a unidade chinesa.

O relatório observa que a Huawei já notificou alguns dos funcionários sobre essa decisão. A empresa ofereceu a alguns trabalhadores chineses a opção para se mudar e continuar trabalhando para a empresa.

Um anúncio oficial a esse respeito não está disponível. Porém não é difícil descobrir por que a Huawei recusa as demissões nos Estados Unidos.

Via

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Associação Libra anuncia novos membros após debandada

Facebook deve adiar lançamento da Libra e enfrenta nova denúncia de invasão de privacidade

Seu chefe está deixando a organização vulnerável a hackers?

Seu chefe está deixando a organização vulnerável a hackers?