Logo LXQt

A equipe do LXQt acaba de anunciar em seu blog e nas redes sociais o lançamento do LXQt (Lightweight Qt Desktop Environment) 0.13.0. De acordo com o blog dos desenvolvedores, esta deve ser uma prévia do novo LXQt 1.0.0. O LXQt é considerado mais moderno e mantido ativamente. Assim, a mudança deve acontecer já a partir da versão 18.10 do Lubuntu. Esta versão deve chegar em 18 de outubro de 2018 em 32 e 64 bits. Saiba mais sobre o novo LXQt 0.13.0.

Em testes já realizados, o layout é muito simples, mas elegante, com um tema escuro por padrão e um único painel na parte inferior da tela. Nele, é possível acessar tudo o que você precisa. Além disso, ele vem com todas as ferramentas e aplicativos mais usados, incluindo o LibreOffice, Mozilla Thunderbird, o Qtransmission, o SMPlayer, o MPV, o Caliber e o Audacious.

Ele ainda possui alguns aplicativos legais do KDE, como o fantástico programa de gravação de CD/ DVD/BR K3b, KDE Partition Manager, gerenciadores de pacotes gráficos Muon and Plasma Discover, calculadora KCalc, gerenciador de arquivos Ark e cliente Quassel IRC. O gerenciador de arquivos padrão é o PCManFM, e o navegador padrão é o Falkon (antigo QupZilla).

Página Blog LXQt

 

Destaques

  • Todos os pacotes estão prontos para o Qt 5.11.
  • Out-of-source-builds agora são obrigatórios.
  • A libfm-qt se torna mais auto-suficiente e menos dependente da libfm, resultando em melhor desempenho e mais flexibilidade.
  • qps e screengrab foram movidos para o LXQt umbrella.
  • Traduções globais aprimoradas.
  • Tornou opcional o cache de menu (padrão = desativado) no painel e no executor para evitar vazamentos de memória e evitar problemas ao reiniciar ou encerrar o LXQt.
  • Melhor LXQtCompilerSettings.
  • Os padrões de configuração (upstream) foram movidos para /usr/share/lxqt, as sobreposições de distribuição podem ser colocadas em/etc/lxqt

As alterações são muitas e o ambiente deve ser usado como padrão no Lubuntu. Assim, a distribuição deve mudar do LXDE (Lightweight X11 Desktop Environment) para o LXQt (Lightweight Qt Desktop Environment). 

A principal diferença entre o LXDE e o LXQt é que o primeiro é escrito com as tecnologias GTK +2, que serão eventualmente eliminadas em favor do GTK +3 mais avançado. Então, este é construído usando o framework Qt. No entanto, não parece que há planos para o LXDE migrar para o GTK +3.

O LXQt foi criado como um fork do LXDE. O KDE Plasma, por exemplo, é feito tendo como base o Qt. Isso popssibilita uma ambiente de desktop clássico com aparência moderna e suportado por muito tempo. O blog do LXQt alerta que as mudanças completas estão disponíveis no Changelog. Acessando o link a seguir, há um resumo das principais alterações desta versão.

LXQt 0.13.0

Algumas atualizações

LXQt

 

compton-conf (0.4.0)

    • Adicionar caixa de seleção para a opção xinerama-shadow-crop
    • Adicionar categorias a Xfce e Gnome
    • cmake: Use LXQtCompilerSettings
    • Adicionar RadioButtons para configurar o backend de renderização

libfm-qt (0.13.0)

  • Funcionalidades importantes, como operações de arquivo, são portadas para C ++, o que significa mais flexibilidade e menos dependência da libfm
  • Rolagem suave para visualizações de ícones e miniaturas
  • Adicionada uma coluna de grupo à visualização de lista detalhada
  • Mesclar o painel lateral com o seu entorno
  • Suporta a ocultação de itens no painel lateral do Places.
  • Use ícones de pasta especiais/personalizados para marcadores
  • Fonte em itálico para itens ocultos
  • Várias correções de bugs
  • Melhorias na GUI e nas funcionalidades
  • Limpeza de código

liblxqt (0.13.0)

  • Um controle de luz de fundo eficiente foi adicionado.
  • ConfigDialog: Adiciona a capacidade de selecionar a página mostrada pelo nome
  • lxqtpower: Adicione suporte para desligar o (s) monitor (es).

libqtxdg (3.2.0)

  • xdgiconloader: Adicionar revalidação do cache do GTK (corrige a localização e a exibição de novos ícones, especialmente no menu principal)
  • xdgiconloader: Cache ScalableFollowsColorEntry corretamente
  • Definir genericName como dica de ferramenta (para o menu principal)
  • Corrigir ícones SVG simbólicos com Qt> = 5.10

lxqt-build-tools (0.5.0)

  • LXQtCompilerSettings: Defina CMAKE_C_VISIBILITY_PRESET como oculto
  • Não permitir Qt foreach / Q_FOREACH
  • Exigir Qt 5.7.1
  • Adiciona um módulo FindXKBCommon CMake
  • Adiciona o módulo CMake ECMFindModuleHelpers.

lxqt-config (0.13.0)

  • melhor funcionalidade de luz de fundo
  • lxqt-config-brightness: define o valor mínimo de luz de fundo para 0
  • lxqt-config-input: Adiciona a capacidade de definir a página inicial
  • Adicionar gama (brilho) redefinir como uma opção cli

lxqt-globalkeys (0.13.0)

  • Atalhos de disparo com chaves meta
  • Registre chaves meta para atalhos
  • O daemon dispara em KeyRelease
  • Evite poluir o mapa de atalhos do x11.

painel lxqt (0.13.0)

  • Correções para o menu principal, especialmente sua atualização correta quando novos aplicativos são instalados.
  • Nenhum cache de menu por padrão (corrigindo problemas causados ??pelo menu-cache + systemd)
  • Correções para texto e ícone do botão de tarefa
  • Mover e redimensionar janelas no menu de contexto do botão de tarefas
  • Correções para o worldclock
  • Evite recursão infinita quando nenhum ícone estiver disponível
  • Corrigir pop-ups mal posicionados
  • Plugin-volume: Use um ícone específico para o painel
  • Melhor integração entre o plug-in do indicador do teclado e a configuração do teclado
 A versão LXQt pode ser baixada em downloads.lxqt.org 17  ou no Github 11 
Claylson
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Novidades para o Ubuntu 18.10

Previous article

Gimp tem nova atualização: 2.10.2

Next article

You may also like

More in Notícias