in

Red Hat OpenShift oferece suporte a containers Windows e Linux

A maior parte do trabalho de contêiner é feita com Linux, mas alguns também são feitos com contêineres baseados no Windows, e agora o Red Hat torna possível gerenciar ambos com Kubernetes via OpenShift.

Red Hat OpenShift oferece suporte a containers Windows e Linux

Quando a gente fala em contêineres logo o Linux vêm à cabeça. Porém a Microsoft tem se esforçado para, da mesma forma, oferecer suporte a contêineres Linux no Windows 10 e Azure. Além disso, tem seus próprios contêineres baseados em Windows. É assim que muitas empresas orientadas para a Microsoft executam contêineres Linux e Windows. Afinal, atualmente, existem mais máquinas virtuais (VM) e contêineres Linux em execução no Linux no Azure do que VMs do Windows Server.

No entanto, gerenciar contêineres Linux e Windows com uma interface não é tão fácil. Portanto, espera-se que a Red Hat encontre muitos clientes para seu mais recente recurso OpenShift Kubernetes: a capacidade de executar e gerenciar contêineres Linux e Windows a partir de um programa.

Para realizar esse truque, o Red Hat OpenShift 4.6 usa o Windows Machine Config Operator (WMCO). Este é um operador OpenShift certificado com base no Kubernetes Operator Framework , que é suportado conjuntamente pela Red Hat e pela Microsoft.

Red Hat OpenShift oferece suporte a containers Windows e Linux

Red Hat OpenShift oferece suporte a containers Windows e Linux

Os usuários do OpenShift podem acessar o WMCO por meio do Operator Hub para começar a gerenciar seus Windows Containers no console do OpenShift. O administrador de cluster do Kubernetes pode adicionar um nó de trabalho do Windows como uma operação do dia 2 com uma configuração prescrita para um cluster OpenShift 4.6 provisionado pelo instalador.

O pré-requisito é um cluster OpenShift 4.6+ configurado com rede híbrida Open Virtual Networking (OVN) Kubernetes. No lado do Windows, você precisará do Canal de manutenção do Windows Server (LTSC): Windows Server 2019 versão 10.0.17763.1457 ou mais recente.

Em outras palavras, esta não é uma operação plug-and-play. Você precisará configurá-lo corretamente para que funcione.

Então, o que isso vai trazer para você?

Você será capaz de orquestrar o Red Hat Enterprise Linux (RHEL) e o Windows para serem executados como blocos de construção de aplicativos e oferecer suporte a aplicativos .NET Core, aplicativos .NET Framework e outros aplicativos Windows. Uma vez configurado, você será capaz de executar contêineres do Windows no OpenShift onde quer que seja compatível com a nuvem híbrida aberta. Isso inclui servidores bare-metal, Microsoft Azure, AWS, Google Cloud, IBM Cloud e, no futuro, VMware vSphere.

Especificamente, ele permitirá que você:

  • Mova os contêineres do Windows para o Red Hat OpenShift sem precisar refazer a arquitetura ou escrever um novo código.
  • Custos de implantação mais baixos para cargas de trabalho em contêineres em ambientes de TI heterogêneos.
  • Melhore a produtividade e a agilidade do DevOps fornecendo gerenciamento nativo da nuvem por meio de uma única plataforma.
  • Maior portabilidade e sobrevivência de aplicativos em ambientes de nuvem híbrida, incluindo novas implantações de nuvem pública ou instalações de ponta.

Esta nova funcionalidade ainda não está pronta. O suporte para Windows Containers no OpenShift estará disponível ainda no início de 2021.

ZDNet

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.

fones-de-ouvido-que-nao-entram-no-ouvido-conheca-os-novos-fones-da-bose

Fones de ouvido que não entram no ouvido: Conheça os novos fones da Bose!

Samsung confirma que está eliminando carregadores e fones de ouvido de dispositivos futuros

Modelos do iPhone 13 Pro usarão telas LTPO OLED de 120 Hz da Samsung