Usar o Btrfs como sistema de arquivos no Linux é seguro? Confira o que sabemos sobre ele até agora!

Sistema de arquivos Btrfs costuma entrar em pauta sempre que possível. No entanto, algumas pessoas ainda não se sentem seguras quando o conceito pede a substituição do ext4 ou ext3 pelo Btrfs!

Emanuel Negromonte
3 minutos de leitura

Além da Oracle, Facebook e SUSE, outra grande empresa que investe no Btrfs, a próxima geração de sistemas de arquivo no Linux, é a Fujitso. O Btrfs já oferece alguns recursos interessantes ao estilo do ZFS e que não são encontrados em outros sistemas de arquivos nativos do Linux, enquanto mais trabalho ainda está acontecendo.

Btrfs é um substituto do ext3 ou ext4?

Para você que não está familiarizado com o Btrfs, ele está sendo tratado como um substituto dos sistemas de arquivo ext3 e ext4, que atualmente são os sistemas de arquivo padrão em muitas distribuições Linux. Para mais informações gerais sobre o Btrfs, basta dar uma olhada neste link da UFRGS. E sobre o ZFS, este é um sistema de arquivos desenvolvidos pela Sun Microsystems.

Satoru Takeuchi, da Fujitso, tem comentado sempre que pode no LinuxCon Europe sobre o Btrfs, falando sobre seu estado atual e trabalhos futuros. A Fujitso vem participando do Btrfs com interesse em sistemas de missão critica desde 2010. Os requerimentos de um sistema de missão crítica para a Fujitso incluem um elevado nível de robustez em relação a falhas, detecção de erros, reparação, recuperação e alta disponibilidade com tempo de manutenção extremamente limitado. O Btrfs se encaixa nos requisitos, pelo menos na teoria, e a Fujitso vem investindo no sistema.

Btrfs lida melhor com volumes, compressão de dados

as

O Btrfs tem suporte a sub-volumes, snapshots de disco, compressão de dados de forma transparente, check-sums de dados/metadados, atualizações via Copy-on-Write, entre outros. Nas versões recentes do Linux, o tratamento de erros, propriedades de inodes, deduplicação offline e performance foram melhorados no Btrfs. A Fujitso contribui com novas características no Btrfs, tanto no kernel como também nas ferramentas do espaço do usuário.

Takeuchi da Fujitso declarou que o Btrfs está pronto para o uso, desde que você não esteja usando um RAID5 ou RAID 6, pois a performance neste casos ainda precisa ser melhorada. Tirando estes dois casos, a performance e estabilidade são muito boas. Executar o Btrfs em RAID 1 e RAID 10 são consideradas as melhores opções agora.

Futuras alterações no Btrfs incluem scrub/replace de sub-comandos para RAID 5 e RAID 6, melhor robustez e performance, documentação melhorada, entre outros.

Share This Article
Follow:
Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.