in

Huawei ainda está proibida de usar produtos dos Estados Unidos

Enquanto isso, Microsoft HP, a Dell e a Amazon devem sair da China.

Huawei ainda está proibida de usar produtos dos Estados Unidos

A Huawei ainda está proibida de trabalhar com empresas americanas e usar software e hardware. É o que garantem autoridades dos Estados Unidos. Um relatório da Reuters revela que John Sonderman, vice-diretor do Escritório de Exportação, do Departamento de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio (BIS), enviou um memorando ao pessoal de fiscalização para indicar que a Huawei ainda está na lista de proibições. Sendo assim, a Huawei ainda está proibida de usar produtos dos Estados Unidos.

Esta parte está na lista de entidades. Avalie a política de revisão de licença associada sob a parte 744, disse ele.

A reportagem da Reuters acontece poucos dias depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que a Huawei não será mais proibida de trabalhar com empresas americanas. Os comentários de Trump foram feitos quase um mês e meio depois que ele assinou uma ordem executiva que coloca a Huawei na lista de entidades. Tecnicamente isto impede a gigante de tecnologia chinesa de usar qualquer produto desenvolvido por uma empresa americana.

Na prática, Huawei ainda está proibida de usar produtos dos Estados Unidos

Huawei ainda está proibida de usar produtos dos Estados Unidos

A Huawei, por outro lado, ainda está aguardando uma confirmação do governo dos EUA sobre as sanções que podem afetar a empresa.

A Huawei também está disposta a continuar comprando produtos de empresas americanas. Mas não vemos muito impacto no que estamos fazendo atualmente. Ainda vamos nos concentrar em fazer nosso próprio trabalho corretamente, disse um porta-voz da Huawei à mesma fonte.

Reconhecemos os comentários do presidente Trump relacionados à Huawei no fim de semana e esperaremos pela orientação do Departamento de Comércio, mas não temos mais nada a acrescentar neste momento, disse Tim Danks, vice-presidente de gerenciamento de risco e relações com parceiros da Huawei. 

Enquanto isso, a Huawei continua trabalhando para reduzir a dependência de empresas americanas. E isso envolve o desenvolvimento de um sistema operacional interno para substituir o Android. Codinome HongMeng, este sistema operacional deve suportar aplicativos Android e estrear em modelos chineses no outono.

Enquanto isso, Microsoft HP, a Dell e a Amazon devem sair da China

A Microsoft e uma série de parceiros estão considerando mover a produção de hardware da China para instalações em outros países. Tudo por causa da guerra comercial entre os Estados Unidos e o governo de Pequim.

A gigante do software, com sede em Redmond, assim como a HP, a Dell e a Amazon, poderiam transferir pelo menos parte de sua produção para fábricas de produção não chinesas. É o que mostra reportagem da Nikkei.

A HP e a Dell querem que pelo menos 30% de sua produção seja executada fora da China. Da mesma forma, a Microsoft está pensando em fazer o Xbox em outro país. A Amazon está de olho em uma mudança semelhante para o Echo e o Kindle. Da mesma forma, a Acer e a Asustek ainda estudam  uma possível migração para outras instalações de produção de seus PCs. O mesmo em relação à Lenovo e à Nintendo.

Embora nenhuma dessas empresas tenha divulgado um comunicado para confirmar que está de fato analisando a saída da produção da China, essa é uma decisão que faz sentido, dada a tensão comercial entre os dois estados.

Migração da Apple para fora da China

A Apple, por exemplo, é vista por muitos como a próxima grande vítima nesta guerra comercial. Especialmente depois que os Estados Unidos anunciaram uma série de sanções contra a Huawei baseada na China.

A Foxconn, que é uma das maiores empregadoras da China e a principal fornecedora da Apple, recomendou a gigante tecnológica de Cupertino para transferir a produção para Taiwan. Segundo a Foxconn, as instalações de produção locais podem lidar com a fabricação de iPhones.

Estou pedindo à Apple que se mude para Taiwan, disse Gou em junho. Eu acho que é muito possível, continuou ele.

Young Liu, chefe de divisão de semicondutores e indicativo do conselho da Hon Hai, a empresa proprietária da Foxconn, ofereceu um conselho similar aos executivos da Apple.

Vinte e cinco por cento da nossa capacidade de produção está fora da China e podemos ajudar a Apple a responder às suas necessidades no mercado dos EUA, disse Liu.Temos capacidade suficiente para atender à demanda da Apple.

Por enquanto, no entanto, nenhuma decisão final foi tomada. Porém, na prática, a Huawei ainda está proibida de usar produtos dos Estados Unidos.

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Chrome reduzirá o uso de RAM com o congelamento de guias

Chrome pode bloquear em breve “anúncios pesados”

Malware para Android ataca contas bancárias

Malware para Android ataca contas bancárias