in

Menos de 1/4 das fintechs preparadas para o Brexit sem acordo

Neste artigo, veja detalhes da pesquisa que revela que menos de 1/4 das fintechs estão preparadas para o Brexit sem acordo.

Menos de 1/4 das fintechs preparadas para o Brexit sem acordo
Menos de 1/4 das fintechs preparadas para o Brexit sem acordo. Imagem: Reprodução / Computer Weekly / KAMASIGNS - FOTOLIA.

Mais de três quartos (78%) das empresas de tecnologia financeira (fintechs) do Reino Unido estão inadequadamente preparadas para as implicações de um Brexit sem acordo. Além disso, 45% não se sentem preparadas se houver um período de transição, de acordo com uma pesquisa recente.

As conclusões da pesquisa realizada pela organização comercial fintech Innovate Finance também descobriram que 17% dos entrevistados estão considerando mudar para uma jurisdição diferente como resultado do Brexit.

As precauções das fintechs com o Brexit

As principais preocupações eram sobre direitos de passaporte, que atualmente permitem que os bancos da UE atendam clientes em todo o bloco comercial, transações transfronteiriças e acesso a talentos.

Segundo a pesquisa, 38% das fintechs não tomaram nenhuma medida para se preparar para o Brexit. Além disso, os outros 62% realizaram trabalhos como revisar o processamento de dados, salvaguardar talentos e realizar procedimentos de gerenciamento de riscos, segundo a Innovate Finance.

Dois terços (66%) das fintechs vêem o Brexit como um risco ou algo que não lhes oferece nenhuma vantagem comercial, disse a pesquisa.

Não apenas o Brexit é potencialmente prejudicial aos negócios das fintechs do Reino Unido, mas a incerteza em torno disso é uma séria distração, de acordo com Charlotte Crosswell, CEO da Innovate Finance.

Crosswell disse:

Neste momento de rápido crescimento no setor de fintech do Reino Unido, que está no centro da futura prosperidade econômica e da inovação do Reino Unido, preferimos que nossos membros se concentrem em seus negócios, expandindo-se para conquistar novos mercados, em casa e internacionalmente.

Segundo a pesquisa, 23% dos entrevistados em fintech apreciariam informações adicionais do governo sobre comércio.

Algumas fintechs se prepararam

O provedor de pagamentos transfronteiriços Azimo é uma fintech que fez os preparativos. Em maio, garantiu para si o direito de operar em toda a Europa através de uma acreditação do Banco Central Holandês.

O OakNorth Bank é outra empresa que se preparou para o Brexit. Alok Prasad, vice-presidente executivo do banco concorrente, disse que a empresa espera que o impacto do Brexit sem acordo sobre o banco seja limitado.

Ele acrescentou:

No entanto, temos liquidez suficiente no banco para lidar com a incerteza. Pretendemos monitorar de perto as notícias, os mercados, as redes sociais e outras informações para estar totalmente cientes dos possíveis impactos de um Brexit sem acordo.

Além disso, revisaremos os dados durante o dia para garantir que estamos totalmente a par de como nossos clientes estão reagindo e para adaptar nossa abordagem em tempo real. Estamos adicionando capacidade proativamente para dar suporte a consultas de clientes, caso nossos clientes desejem conversar com alguém. Novamente, enquanto esperamos um impacto limitado em nossos negócios, estamos totalmente preparados para lidar com um cenário de Brexit sem acordo.

Menos de 1/4 das fintechs preparadas para o Brexit sem acordo
O OakNorth Bank se preparou para o Brexit. Imagem: Divulgação / OakNorth Bank.

Outro CEO da fintech questionou os números:

Eu questionaria as estatísticas. O Brexit não é uma novidade. Assim, se uma empresa não estiver preparada para o Brexit, provavelmente não deveria estar lidando com o dinheiro das pessoas.

Se gostou, não deixe de compartilhar!

Fonte: Computer Weekly

Leia também: A nação Facebook: além de moeda própria, também terá um “STF”

Escrito por Leonardo Santana

Astrônomo amador e eletrotécnico. Apaixonado por TI desde o século passado.

pela-credibilidade-e-consistencia-do-youtube-novidades-sobre-a-revisao-da-parada-musical-da-plataforma-e-a-estreia-da-politica-de-recordes-nas-primeiras-24-horas-de-exibicao

Pela credibilidade e consistência do YouTube: Novidades sobre a revisão da parada musical da plataforma e a estreia da política de recordes nas primeiras 24 horas de exibição

França pede proibição de criptomoeda Libra na Europa