in

O que o Linux tem a ver com o 5G? Conheça o Projeto Magma de código aberto

O Magma do Facebook traz núcleos móveis de código aberto para LTE e 5G de operadora. Seguindo em frente, o Magma será executado com a Linux Foundation usando uma estrutura de governança neutra de fornecedor.

Projeto Magma de código aberto se tornará Linux 5G

Muito se fala sobre a tecnologia 5G de transmissão de dados. No Brasil, todo o processo ainda engatinha e até mesmo questões ideológicas ameaçavam o andamento do processo com a proibição da Huawei. Felizmente, parece que o bom senso venceu e a participação da chinesa está garantida. Porém, quando falamos em 5G temos um arco amplo de tecnologias que envolvem software e hardware. Os detalhes ainda são desconhecidos da grande maioria dos mortais. Porém, tem muita coisa já disponível por aí. É o caso do Projeto Magma de código aberto tocado pela gigante Facebook e que se tornará Linux 5G. O Magma tem a participação direta da Linux Foundation.

Magma foi desenvolvido pelo Facebook para ajudar as operadoras de telecomunicações a implantar redes móveis de forma rápida e fácil. O projeto, que abriu o código-fonte do Facebook em 2019, faz isso fornecendo um núcleo de pacote móvel distribuído centrado em software e ferramentas. Tudo para automatizar o gerenciamento de rede. Essa função de rede em contêiner se integra ao back-end existente de uma rede móvel e facilita o lançamento de novos serviços na extremidade da rede.

Operadores Magma podem construir e aumentar redes móveis modernas e eficientes em grande escala. Ele se integra com redes LTE existentes e redes 5G recém-criadas. Vários membros da comunidade Magma também estão colaborando na Telecom Infra Project (TIP) e Open Core de Rede. O plano é definir, construir, testar e implantar produtos de rede central que integram o Magma com soluções desagregadas de hardware e software TIP Open Core.

Projeto Magma de código aberto se tornará Linux 5G

A Linux Foundation ajudará a supervisionar este novo estágio no futuro organizacional da Magma. O Magma será gerenciado sob uma estrutura de governança neutra na Linux Foundation. Arm, Deutsche Telekom, Facebook, FreedomFi, Qualcomm, o Institute of Wireless Internet of Things da Northeastern University, a OpenAirInterface (OAI) Software Alliance e a Open Infrastructure Foundation (OIF) participam. 

Com um detalhe: a OIF é uma espécie de rival da Linux Foundation. Então, como o projeto Magma pode ter o apoio de ambas? Arpit Joshipura, o gerente geral de Networking, Edge e IoT da Linux Foundation, explicou:

Magma obteve grande apoio da comunidade de vários participantes do ecossistema e fundações, incluindo OIF, OAI etc. O que estamos anunciando hoje é a próxima evolução do projeto, onde a hospedagem real do projeto está sendo configurada sob a Linux Foundation com governança neutra que foi aceita pela comunidade por um longo tempo. OIF, OAI e LF trabalharão com suas comunidades de Desenvolvedores de Software para contribuir com o projeto principal do Magma.

Mesmo se você já estiver envolvido no desenvolvimento e implantação 5G, você pode não saber muito sobre Magma. Porém, não terá como fugir. Joshipura disse, “Magama fornece funções de aplicativos como Mobile Core que são complementares às telecomunicações existentes e software de código aberto de ponta como Open Network Automation Platform (ONAP) ou Akraino.” 

Magma fornecerá estes recursos: 

  • Permite que as operadoras expandam a capacidade e alcance usando LTE, 5G, Wi-Fi e Serviço de Rádio de Banda Larga do Cidadão (CBRS).
  • Permite que as operadoras ofereçam serviço de celular sem dependência do fornecedor com uma rede central moderna e de código aberto.
  • Permite que as operadoras gerenciem suas redes de forma mais eficiente com mais automação, menos tempo de inatividade, melhor previsibilidade e mais agilidade para adicionar novos serviços e aplicativos.
  • Habilita a federação entre operadoras de rede móvel (MNO) existentes e novos provedores de infraestrutura para aumentar a infraestrutura de rede móvel com mais eficiência.
  • Apoiar a tecnologia 5G de código aberto e incubar futuros casos de uso de rede sem fio como Private 5GIntegrated Access Backhaul (IAB)Augmented Networks e Non-Terrestrial Networks (NTN).

Redes de baixo custo

Boris Renski, co-fundador e CEO da FreedomFi , que usa Magma para permitir que qualquer pessoa construa redes 4G LTE e 5G de baixo custo, privadas, de longo alcance, confiáveis ??e seguras, adora este plano. “Temos contribuído com o Magma upstream e implementado no cliente há mais de um ano e construímos mais de 20 redes LTE privadas usando Magma.”

Renski vê “o Magma se tornando o Linux dos núcleos das redes de telecomunicações”. Além disso, “Com gigantes da indústria como Arm e Qualcomm juntando-se ao esforço e ajudando a garantir a compatibilidade do Magma com suas plataformas, esperamos que outros fornecedores de rede de acesso de rádio (RAN) e OSS se unam em torno do esforço para ajudar a acelerar ainda mais a adoção.”

A Qualcomm acredita que isso também está acontecendo. Douglas Knisely, engenheiro da Qualcomm, disse:

A Qualcomm apoia fortemente a evolução dos esforços da rede principal do Magma em uma coalizão mais ampla entre os principais projetos fundadores e contribuintes. Esse esforço se baseia nas atividades de colaboração e nas contribuições de código da OAI para o projeto Magma e promove a harmonização de uma arquitetura de referência de rede principal 5G comum, estrutura interna, APIs e interfaces para todos os projetos de código aberto 5G emergentes na indústria.

Não são apenas os fornecedores que veem o potencial da Magma. “Magma é um dos projetos mais empolgantes que vi em anos. Em nosso mundo, a conectividade está diretamente ligada ao progresso, e a missão do Magma de melhorar o acesso à rede para os subconectados é inspiradora e significativa”, disse Jonathan Bryce, Diretor Executivo da OIF.

Quem quiser, pode se juntar ao Magma no Github. O futuro da 5G está esperando por você.

ZDNet

Mozilla expande serviços de VPN para Alemanha e França

Mozilla expande serviços de VPN para Alemanha e França

Check Point lança serviço contra ciberameaças para pequenas e médias empresas!